Os políticos de ontem

0
180
Anuncie aqui (Article top) Acesse a loja virtual do Magazine Curitibalegal, e compre por menos.

Entre esses políticos, em diferentes posições,  tivemos um  Pinheiro Machado (grande chefe republicano  que abandonou os estudos na escola militar  e a casa paterna com apenas  15 anos para alistar-se como voluntário na Guerra do Paraguay  e mais tarde, em 1893, sendo já advogado e senador da república, pediu licença para chefiar a divisão norte na revolução federalista, derrotando Gumercindo Saraiva e seus maragatos federalistas em 1894, na batalha de Passo Fundo, o que lhe valeu o posto militar de General de Brigada, reassumindo o seu cargo de senador);  Júlio de Castilhos (primeiro  presidente republicano  do estado (então província)  do Rio Grande do Sul e um dos autores de sua constituição);  Gaspar Silveira Martins (magistrado  e chefe da ala  liberal dos federalistas), os  irmãos revolucionários maragatos Gumercindo e Aparício Saraiva;  Antonio Augusto Borges de Medeiros (chefe republicano que sucedeu Júlio de Castilhos como  presidente do Estado do Rio Grande do Sul e o governou por 25 anos até 1928),  Getúlio Vargas (advogado, militar, ministro da fazenda,  presidente do estado do Rio Grande do Sul, líder da revolução de 30  e presidente  da república  por mais de 15 anos  durante  os quais criou o Banco do Estado do Rio Grande do Sul  e foram criadas em seu governo  grandes empresas estatais como a Companhia Siderúrgica Nacional e a Petrobrás);  Osvaldo Aranha (advogado, revolucionário republicano que participou da revolução de 1923 entre chimangos e maragatos e teve participação decisiva na revolução de 30 com Getúlio Vargas, foi  deputado federal, ministro, chanceler  e  presidente da primeira seção especial da Assembleia Geral  da Organização das Nações Unidas em 1947 quando foi criado o Estado de Israel);  José Antonio  Flores da Cunha (advogado, general, chefe revolucionário, deputado,  senador,  governador do estado do Rio Grande do Sul, por sinal o único governador  que saiu do governo deixando dinheiro em caixa);  João Goulart  (ministro, vice-presidente  e presidente da república)  e  Leonel Brizola (governador dos estados do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro), para citar alguns, sem falar em Juscelino que criou a capital federal de Brasília.

(Editado pelo autor em 21/04/2020 as 21:46)