Espiões chineses disfarçados de turistas tentam penetrar bases militares no Alasca

0
1959

Espiões chineses fingindo serem turistas têm tentado penetrar bases militares americanas no Alasca, estado que abriga algumas das mais avançadas tecnologias de defesa e contra-ataque das forças armadas dos EUA.

Segundo relatos de militares americanos feitos ao jornal USA Today, em um dos casos um grupo de chineses simplesmente burlou a segurança e entrou na base, sendo pegos logo em seguida. Após buscas feitas no carro, os militares acharam um drone. O grupo de supostos turistas alegou ter se perdido e entrado sem querer na base.

Segundo os militares, algumas dessas ocorrências realmente envolvem turistas descuidados, principalmente durante os dias que turistas são atraídos ao Alasca para verem o fenômeno das Auroras Boreais. Mas nem todas.

Um dos grandes riscos dessas invasões, segundo militares, é o que esses supostos turistas deixam para trás dentro das bases antes de serem abordados, como sensores com a capacidade de coletar e transmitir dados e comunicações para Pequim.

Segundo o diretor do FBI, Christopher Wray, a agência abre cerca de uma nova investigação contra cidadãos chineses a cada 12 horas.

O Alasca abriga hoje três grandes bases militares: a A Base Conjunta Elmendorf-Richardson em Anchorage, Fort Wainwright e Base Aérea de Eielson perto de Fairbanks, além de instalações militares menores em outros pontos do estado.

Nessas bases existem 12 mil soldados e 10 mil militares da Força Aérea dos EUA. No Alasca também ficam estacionados muitos dos caças mais avançados americanos como o F-22 e o F-35.

“Levamos muito a sério a segurança de nosso pessoal em nossas instalações”, disse a número 2 do Pentágono Kathleen Hicks. “Sempre convivemos com a possibilidade de invasão de nossas instalações e, por isso, trabalhamos muito para garantir, trabalhando junto com autoridades estaduais e locais e outras, que essas bases e instalações estejam protegidas contra ameaças. Tomamos muitas medidas para fazer isso. E vamos garantir que possamos continuar a proteger nossa instalação para que nosso pessoal possa realizar suas missões.”

Em janeiro de 2023 episódios envolvendo balões chineses chamaram atenção do público após um deles ser flagrado sobrevoando uma das mais importantes bases militares americanas em pleno estado de Montana, sendo abatido apenas dias depois na costa da Carolina do Sul após cruzar todo território americano desde o Alasca.

Com Direto da America