Justiça do Rio decide manter prisão de Capitão Guimarães

0
263

O ex-capitão do exército e acusado de ser mandante de um homicídio

ouvir:

O contraventor Aílton Guimarães Jorge, ex-capitão do Exército, mais conhecido como Capitão Guimarães, de 81 anos, vai permanecer preso à disposição da Justiça. Em audiência de custódia hoje à tarde (8), a juíza Mariana Tavares Shu, da Central de Custódia, decidiu manter a prisão do contraventor.

Guimarães foi levado da carceragem da Polícia Federal após assinar a prisão em flagrante, nesta quarta-feira (7), durante a Operação Sicários e transferido para o Presídio José Frederico Marques, em Benfica, zona norte da cidade.

A prisão preventiva do Capitão Guimarães foi expedida pela juíza titular da 4a. Vara Criminal de São Gonçalo, Juliana Grillo El-Jaick, que expediu os mandados de prisão e de busca e apreensão da operação.

O contraventor é suspeito de ser o mandante de um homicídio, ocorrido em julho de 2020, num posto de gasolina, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, que indicou ter sido um crime com características de execução sumária. A vítima foi o pastor Fábio Aguiar Sardinha, de 41 anos. Na operação, o ex-policial civil Deveraldo Lima Barreira, ligado ao Capitão Guimarães, acusado de ser o executor do crime, foi preso em casa, na Barra da Tijuca.

Por Douglas Corrêa – Com Agência Brasil – Rio de Janeiro