Desdobramento dos militares pelo Brasil inteiro – “Lei Marcial” decretada na próxima semana?

0
700

Veículos militares das forças armadas do Brasil foram vistos se mobilizando, deslocando e assumindo posições em pontos de fronteira pelo Brasil inteiro, desde grandes centros urbanos, enquanto o presidente Bolsonaro esteve com líderes militares em uma cerimônia para promover novos generais em Brasília na quinta-feira. “A lei marcial está chegando na próxima semana”, diz o observador do Brasil Matt Tyrmand.

Elon Musk observou que o Twitter também pode ter interferido nas eleições brasileiras.

Desdobramento dos militares pelo Brasil inteiro – “Lei Marcial” decretada no pais na próxima semana?

“Tenho fontes no terreno dizendo que os reservistas estão sendo ativados agora, começando ontem em cidades menores e médias”, disse o jornalista Matthew Tyrmand a Steve Bannon em 2 de dezembro.

“Você já pode ver vídeos de tanques sendo transportados para pontos estratégicos e de cruzamentos em todo o país. Acho que até quarta ou quinta (07 e 08 de dezembro) que vem, (os generais) vão colocar uma carta na frente do Bolsonaro e dizer, assine isso e acione a gente. Acreditamos que temos que agir agora, de acordo com a constituição, e ir atrás dessas máquinas (de votação), prender esses juízes, e então o castelo de cartas cairá.”

Mais e mais vídeos de várias plataformas de mídia parecem mostrar blindados pesados, obuses e APCs (Veículo blindado de transporte de pessoal} e tropas em trânsito e se posicionando em todo o Brasil, inclusive nas fronteiras com outros países da América do Sul.

Milhões de brasileiros em manifestações pacíficas nas ruas das principais cidades do pais têm pedido que as Forças Armadas intervenham de acordo com o previsto na Constituição brasileira para impedir que o presidente eleito, condenado em várias instâncias, o metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva se torne presidente com o apoio da esquerda.

Embora a maioria dos vídeos mostre pesados veículos blindadossendo carregados por carretas e vagões de trens, alguns mostram APCs totalmente tripulados, armados e prontos para o combate.

Se os militares realmente se mobilizaram para impedir a posse de Lula da Silva, assegurar a defesa do território, certamente terão o apoio do povo brasileiro. Nenhum simpatizante de Lula foi visto durante o último mês nas ruas do Brasil, desde que milhões de brasileiros começaram a protestar após as “eleições” totalmente digitais de 30 de outubro, que alegam, teriam sido fraudadas.

Três relatórios separados descobriram que as eleições não puderam ser verificadas, uma vez que muitas das máquinas de votação não podem ser auditadas. A auditoria militar exigida por lei não pôde ser concluída porque a Justiça Eleitoral se negou a entregar o código-fonte das máquinas. 

Lula da Silva é um condenado pela justiça em várias instâncias, que passou dois anos na prisão por corrupção no enorme escândalo da “Lava Jato” antes que seus próprios indicados à Suprema Corte cancelassem as condenações, para permitir que ele concorresse.


A Operação “Lava Jato”: Ela investigou crimes de corrupção ativa e passivagestão fraudulenta, lavagem de dinheiro, organização criminosaobstrução da justiçaoperação fraudulenta de câmbio  e recebimento de vantagem indevida. A Lava Jato foi apontada como uma das causas da crise político-econômica de 2014 no país. De acordo com investigações e delações premiadas, estavam envolvidos em corrupção membros administrativos da empresa estatal Petrobras, políticos dos maiores partidos do Brasil, incluindo o próprio presidente da República, presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal e governadores de estados, além de empresários de grandes empresas brasileiras.

A Polícia Federal considera-a a maior investigação de corrupção da história do país.

Ao longo de seus desdobramentos, entre outras pessoas relevantes que acabaram sendo presas graças à operação, incluem-se o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral e o seu sucessor Luiz Fernando Pezão, ainda durante o mandato, o ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, os ex-ministros da Fazenda Antonio Palocci e Guido Mantega, o publicitário João Santana, o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, o empresário Eike Batista e, em abril de 2018, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

Ao final de dezembro de 2016, a Operação Lava Jato obteve um acordo de leniência envolvendo a justiça dos EUA e da Suíça com a empreiteira Odebrecht, que proporcionou o maior ressarcimento da história mundial . . .

A empreiteira Odebrecht fechou acordo de leniência com os Estados Unidos e a Suíça. De acordo com as cláusulas, a empresa se comprometeu a pagar multa de R$ 8,5 bilhões para que sejam suspensas todas ações que envolvem a empreiteira e a Braskem, uma das empresas do grupo.Segundo o Ministério Público Federal (MPF), é o maior acordo em um caso de corrupção no mundoAo fechar o acordo, a empreiteira se comprometeu a revelar todos os fatos ilícitos praticados na Petrobras e em outros órgãos do Poder Público envolvendo os governos federal, estadual e municipal. Em troca das informações, a Odebrecht poderá continuar a exercer suas atividades. “Os acordos de leniência e de colaboração premiada firmados ao longo dos dois últimos anos pela força-tarefa da operação Lava Jato foram essenciais para a expansão das investigações e o desvelamento do maior esquema de corrupção já investigado no Brasil. Possibilitaram ainda o ressarcimento de prejuízos causados aos cofres públicos em cifras recordes, que se encontram dentre as maiores em acordos da espécie no mundo”, diz nota do MPF.]

. . . O acordo previu ainda o  depoimento de 78 executivos da empreiteira, gerando 83 inquéritos no STF, e de que o ministro do tribunal Edson Fachin retirou o sigilo em abril de 2017. Novas investigações surgiram no exterior a partir destes depoimentos em dezenas de países, dentre eles CubaEl SalvadorEquador e Panamá. Em fevereiro de 2021, a operação de combate à corrupção terminou, após quase sete anos de ação. (Fonte: WIKIPÉDIA)

Indígenas protestando pela democracia e contra a possível fraude eleitoral ocuparam o aeroporto de Brasilia no dia 2 de dezembro exigindo a prisão de Lula. A grande mídia está ignorando os apelos dos indígenas, a movimentação de tropas e armamento pesado por todo o território brasileiro e os gigantescos protestos dos cidadãos por todo o pais numa atitude de desinformalçao ao povo brasileiro, assim demostrando a sua posição à favor de Lula.

Com The Gateway Pundit /Thoth3126 – Por Richard Abelson