Tudo passa, tudo se transforma …

0
59

Como uma imensa roda giratória em seu lento e irreversível giro perpétuo, com embarques e desembarques de novos e velhos passageiros, assim é a roda da fortuna onde todos ocupamos nossos lugares em uma determinada posição que pode ser ascendente, descendente, superior ou inferior, como naquela roda gigante dos parques de diversão.

Esse mecanismo invisível, que é a roda da fortuna ou do destino, nos transporta através de vários momentos e ciclos no tempo e no espaço.

Quando estamos cá em baixo, não nos queixemos, pois logo começaremos a subir e assim iremos gradualmente melhorando até atingirmos o topo dessa roda.

Quando estamos na parte superior , são os momentos supremos em que a vida de algum modo nos premia, nos recompensa ou credita alguma coisa.

Mas não nos alegremos ou regozijemos muito. Pois logo começaremos a descer até chegarmos ao fundo do abismo ou do poço. E nesta posição não devemos nos desesperar. Pois ela, como todas as demais, também é passageira.

Porque a vida, através do giro perpétuo da roda da fortuna, oferece a todos, novos momentos e oportunidades.

Na pior ou na melhor das hipóteses, não devemos perder a paciência, a esperança, o equilíbrio e a tranqüilidade, pois tudo passa em ciclos variados, como passam os períodos de bom ou mau humor, os momentos de alegria e de tristeza, a vitória e a derrota, a saúde e a doença, as fases da lua, as estações do ano, as noites e os dias.

Na natureza, dentro e fora, em cima e embaixo, tudo é cíclico, dinâmico e passageiro.

Até o que parece imóvel ou estacionário, através de suas partículas atômicas está em constante movimento.

E assim, tanto no pequeno quanto no grande universo, tudo passa, tudo muda, tudo se transforma.