Nove suspeitos, do assalto de Criciúma, são presos (com vídeo)

0
226

As Prisões foram feitas nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e em São Paulo durante esta quarta e quinta-feira

Polícia encontrou armas, munição e malotes de dinheiro com a mulher presa em São Paulo

O Assalto a banco em Criciúma foi o maior da história de Santa Catarina
Nove suspeitos de participar do roubo a uma agência do Banco do Brasil em Criciúma, Santa Catarina, foram presos pela Polícia Civil. Do total, dois foram localizados em Gramado, na Serra do Rio Grande do Sul, na manhã desta quinta-feira, de acordo com a Chefe da Polícia Civil, Nadine Anflor.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), outros seis foram presos entre a tarde de quarta (2) e a madrugada desta quinta-feira (3) em cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Sete suspeitos são de São Paulo e um de Minas Gerais.

Na madrugada desta quinta-feira, um homem foi encontrado na cidade de Três Cachoeiras (RS). Na quarta-feira (2), dois homens foram encontrados em um viaduto da BR-116 em São Leopoldo (RS), três homens foram encontrados entre a divisa de Torres (RS) e Passo de Torres (SC).

Uma mulher foi presa em São Paulo (SP) após a polícia receber uma denúncia. Foram encontrados malotes de dinheiro do Banco do Brasil com a suspeita e eles serão periciados.

O Assalto

A cidade de Criciúma (SC) foi alvo de uma quadrilha com cerca de 30 pessoas na última segunda-feira (30). Os criminosos roubaram um cofre de uma agência do Banco do Brasil. A ação durou até a madrugada de terça-feira (1º).

Funcionários foram feitos reféns, vias foram bloqueadas e os criminosos utilizaram armas de grosso calibre.

O grupo deixou 30 quilos de explosivos para trás. Não há informações sobre o total utilizado por eles. Foram apreendidos 10 carros usados no assalto. Segundo o Instituto Geral de Perícias (IGP), os veículos foram pintados de preto para camuflar.

Em nota, o Banco do Brasil disse que funcionários não foram feridos, que não há previsão para reabertura da agência e que não informa “valores subtraídos durante ataque às suas dependências”.

Este foi o maior assalto da história do estado, segundo as autoridades.

Com Diário do Litoral/Vídeo do SBT (youtube)