A repercussão a censura imposta pelo STF ao Facebook e Twitter, extrapola as fronteiras do país, e Facebook diz que não cumprirá determinação, no exterior, imposta pelo STF.

0
247
Anuncie aqui (Article top) Acesse a loja virtual do Magazine Curitibalegal, e compre por menos.

As notícias brasileiras, destacando-se os fatos relacionados aos ‘fake news’, Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro e consequências nos Facebook e Twitter, repercutem mundialmente para o constrangimento do povo brasileiro. Um exemplo do que ocorre, chega-nos da Polônia, pelo Twitter do jornal Poland Daily que publica que “O Facebook e o Twitter restringiram o acesso às contas de alguns dos jornalistas de direita mais populares do Brasil, incluindo Allan dos Santos e Bernardo Küster. A decisão é tomada a pedido do ativista Supremo Tribunal Federal”.

Já o Facebook decidiu que não cumprirá a determinação de Alexandre de Moraes desta quinta-feira (30) e não tirará do ar internacionalmente os perfis de bolsonaristas que são alvos do inquérito das fake news no momento. A empresa recorrerá ao plenário do STF e, enquanto isso, manterá as contas no ar fora do Brasil.

“Respeitamos as leis dos países em que atuamos. Estamos recorrendo ao STF contra a decisão de bloqueio global de contas, considerando que a lei brasileira reconhece limites à sua jurisdição e a legitimidade de outras jurisdições”. Nota da assessoria de imprensa do Facebook.

Naturalmente o Facebook deve estar levando em consideração as consequências financeiras que, ao acatar tais decisões, deverá ter, uma vez que a repercusão sobre este tipo de censura, pelos internautas brasileiros e inclusive do exterior foi enorme.

Com informações do Twitter e Poland Daily