Luiz Fux suspendeu liminar de Soltura, mas André Rap, do PCC provavelmente já fugiu para o paraguai, suspeita-se.

0
284
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, durante aula magna sobre o tema Educação e Democracia: Perspectiva 2018, na abertura do curso da pós-graduação Lato Sensu em Democracia, Direito Eleitoral e Poder Legislativo.
Anuncie aqui (Article top) Acesse a loja virtual do Magazine Curitibalegal, e compre por menos.

Marco Aurélio Mello havia determinado a soltura do traficante André Oliveira Macedo, o André do Rap, e o mesmo foi solto.

Na noite de sábado (10), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, atendendo pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), que cita “o risco efetivo que o paciente em liberdade pode criar à ordem pública”, suspendeu a decisão liminar (provisória) de Marco Aurélio, mas o traficante, solto na sexta-feira à noite, fugiu indo para Maringá, no Paraná, ao contrário de ir para o litoral paulista, onde declarou estar indo, caso a Justiça precisasse entrar em contato.

O traficante já é considerado fugitivo, e ao que tudo indica, deve ter fugido para o Paraguai.

O pedido que resultou na decisão de Marco Aurélio Mello de libertar o traficante André do Rap, conforme informa O Antagonista, foi apresentado pelo escritório de um advogado que era assessor do gabinete do ministro do STF até o começo do ano, diz a Crusoé, em reportagem exclusiva.

O ex-assessor de Marco Aurélio, Eduardo Ubaldo Barbosa, não aparece assinando o pedido. Quem assina é a sócia dele, Ana Luísa Gonçalves Rocha. Os dois são sócios do escritório Ubaldo Barbosa Advogados, com sede em Brasília.