No Dia Mundial do Coração, live com a cantora Ana Carolina alerta para riscos cardiovasculares do diabetes

0
82
Anuncie aqui (Article top) Acesse a loja virtual do Magazine Curitibalegal, e compre por menos.

Pesquisa aponta que 90% dos pacientes brasileiros sente falta de informação sobre a relação entre o diabetes e as doenças cardíacas

Uma pesquisa da campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração” realizada em 2019 aponta que 90% dos pacientes brasileiros sente falta de informação sobre os riscos cardiovasculares do diabetes. Para tentar reverter esse quadro, a Novo Nordisk, com apoio de sociedades médicas e associações de pacientes, vai promover a Live do Coração nesta terça-feira (29), a partir das 20h, com um show da cantora e compositora Ana Carolina diretamente do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro 

E o evento não poderia ocorrer em uma data mais apropriada, afinal, 29 de setembro é o Dia Mundial do Coração. A live vai ser transmitida pelo canal da campanha e da cantora Ana Carolina no YouTube. A apresentação ficará por conta do ator Danton Mello, que conversará com o médico endocrinologista Carlos Eduardo Couri. 

O objetivo é alertar a população sobre a relação entre o diabetes e as doenças cardiovasculares. Por isso, durante o evento, a partir das 20h, mensagens da campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração” vão ser projetadas no Cristo Redentor. 

Para Raquel Cristina Coelho, gerente médica da Novo Nordisk, há mais de um fator que explica a falta de conhecimento dos pacientes sobre o tema. No entanto, um dos mais importantes é a ênfase dada a outras complicações ligadas ao diabetes, ao passo em que os problemas relacionados ao coração são pouco lembrados. 
 
Raquel Cristina Coelho, gerente médica da Novo Nordisk:

“Algumas complicações já estão mais estabelecidas como associadas ao diabetes entre a população, que são a cegueira, a amputação de membros e a doença dos rins. Essas complicações são extremamente graves, sérias, mas são menos comuns do que as doenças cardiovasculares.”
 

Estima-se que cerca de 13 milhões de brasileiros tenham diabetes. No entanto, os especialistas em saúde alertam para outro grande problema: a falta de informação sobre os riscos cardiovasculares do diabetes. O diabetes tipo 2, subtipo mais comum da doença, aumenta em até quatro vezes a propensão a doenças cardiovasculares. Segundo a Associação Americana do Diabetes, 80% das mortes de pessoas com a doença são causadas por problemas relacionados ao coração.

Ao descobrir que tinha diabetes, Alcir Júnior, 39 anos, começou a investigar por conta própria sobre os males associados à doença. Pela internet, conversando com pessoas que também têm a enfermidade e, principalmente, com médicos, ele descobriu os riscos cardiovasculares e passou a se tratar para evitá-los. No entanto, o morador de Vicente Pires — cidade a cerca de 15 km de Brasília — afirma que o seu caso é exceção, pois há pouca informação difundida sobre a relação entre o diabetes e as doenças cardiovasculares.

Alcir Júnior, analista de TI:

“Não tem uma informação clara sobre os riscos das cardiopatias que podem ser desenvolvidas por conta do diabetes. Tem muita coisa na internet, mas a pessoa tem que ir atrás. Coisas que se publiquem ou que detalham melhor, não há.”
 

O diabetes e as doenças cardiovasculares também estão entre os fatores de risco para a Covid-19. De acordo com o Ministério da Saúde, até 12 de setembro, mais de 63% das vítimas do novo coronavírus no Brasil apresentavam, ao menos, uma comorbidade ou fator de risco para a doença. Cardiopatia e diabetes foram as condições mais frequentes. 

Lançada em 2019, a campanha “Quem Vê Diabetes Vê Coração” é uma iniciativa da Novo Nordisk. A ação conta com o apoio de associações de pacientes e sociedades médicas de cardiologia e endocrinologia. Para mais informações, acesse o site quemvediabetesvecoracao.com.br.

Reportagem, Felipe Moura.