Uma surpreza agradável

0
106
Anuncie aqui (Article top) Acesse a loja virtual do Magazine Curitibalegal, e compre por menos.

MEU CONTATO COM DISCOS VOADORES

Publicado pela primeira vez em 1959 por Neville Spearman, Londres.


A campainha tocou três vezes. Minha esposa veio e me disse que havia uma espécie de parson religioso na porta que queria falar comigo.

“O que ele quer?” Eu perguntei apreensivamente.

Não sei, mas parece que ele quer pregar em você, respondeu minha esposa.

Quase todos os domingos, os protestantes Parsons, ou pregadores comuns, vinham para nos pregar ou tentar nos converter à sua crença. Como, naquela época, eu era ateu no sentido mais amplo da palavra, eu odiava longas dissertações bíblicas e, de fato, tinha uma aversão a qualquer coisa que batesse na religião.

Não vamos poder sair com as crianças agora”, comentou.

“Não, acho que não vamos”, disse minha esposa,” mas não importa, se não formos hoje, vamos outro dia.”

“Não é justo que as crianças percam sua caminhada. O vai ter que sair depois do almoço sozinho.

Eu tinha uma boa mente para dizer ao Parson que eu não podia vê-lo, mas então decidiu que ele provavelmente era muito inofensivo. Afinal, ele só vinha ver se podia me levar para o céu. Desci as escadas longe de agradar, mas mantive um ar de polidez, e consegui colocar um sorriso.

Sentado lá embaixo, no entanto, encontrei um homem bem vestido em um bom terno de caxemira que se encaixava perfeitamente em seu corpo atlético. Como regra, os sacerdotes se vestem sem ostentação, mas este foi singularmente bem realizado. Ele tinha uma camisa branca com uma gola dura, e uma gravata azul com padrões geométricos brancos. Seus sapatos não pareciam ter sido usados por mais de um mês ou dois.

Minha atenção foi atraída para a tecelagem fina de suas luvas, e eu lembrei onde eu tinha visto este tipo de luva antes. Como eu fiquei cara a cara com ele, eu quase perdi a minha voz com surpresa; Eu o reconheci como o Capitão de um “Disco Voador”.

Em novembro de 1952 eu estava em turnê com um amigo no Estado de São Paulo. Ao chegar ao topo da cordilheira de Angatuba vindo do Paraná, fomos confrontados por cinco Discos Voadores pairando no ar. Era um dia chuvoso e a visibilidade era ruim.

Voltei ao mesmo lugar mais tarde e passei dias e noites lá na esperança de ver um Disco Voador novamente. Na última noite, depois de uma série de episódios que não entraremos aqui por medo de digressão, um Disco Voador pousou e nos foi dada a chance de entrar nele e conhecer sua tripulação.

Ficamos a bordo por cerca de uma hora olhando para os vários equipamentos da máquina. O Capitão foi gentil o suficiente para explicar como todos eles funcionavam. No final de nossa visita, este indivíduo fascinante prometeu vir nos ver assim que pudesse. E agora, quatro ou cinco meses depois, ele tinha vindo como prometido.

“Sua surpresa é bastante compreensível”, disse ele, levantando-se da poltrona e estendendo a mão, “mas eu vim para retornar sua visita ao meu Ofício. Eu vim, não só porque prometi, mas porque eu queria muito ter o prazer de vê-lo novamente.

“Sinto que não mereço um gesto tão gracioso de sua parte, especialmente porque não tenho nada a oferecer a você além da mão da amizade.”

“Se você me oferecesse toda a Terra, mas não a mão da amizade, não valeria nada. Só a amizade tem valor real. Eu aceito com gratidão como eu vim para oferecer-lhe a mesma coisa: minha mão de amizade.

Por favor, desculpe-me por ter me apresentado como um parson, mas você deve perceber que sua esposa ficaria muito perturbada se ela soubesse a verdade.

“Foi um subterfúgio inofensivo”, tranquilizei-o, “e sou grato a você por isso; Minha esposa certamente ficaria infeliz se um dia pensasse que seu marido estava envolvido em alguma atividade subversiva em parceria com um agente estrangeiro que se passou por um cavalheiro vagando no espaço.

“Na verdade, eu nunca tinha acreditado que discos voadores eram extraterrestres. A coisa toda me pareceu uma decepção por parte do povo da Terra, apresentando-se como seres de outro mundo, e explorando o vago desejo da Humanidade de saber que há outra vida humana dentro do Sistema Solar, a fim de continuar alguma atividade nefasta ou outra.

Meu visitante apenas sorriu. “Eu lhe asseguro”, disse ele, “que suas suspeitas são infundadas, mas não há dúvida de que é seu dever estar em sua guarda contra possíveis enganos. Ou coisa é certa, no entanto,; se eu fosse um agente estrangeiro eu mostro há muito tempo que conquistou a Terra, e você teria pago caro por sua curiosidade que o levou ao meu ofício.

Neste momento minha esposa veio com as crianças. Ela me disse que o almoço estava pronto e que o “Parson” era bem-vindo para comer conosco. Ela sairia e não voltaria até a noite.

Durante o almoço eu queria experimentar a habilidade linguística do meu convidado para ver se ele trairia sua origem pelo sotaque. Comecei discutindo a religião cristã e perguntei-lhe se ele poderia me dizer as primeiras palavras do Antigo Testamento em hebraico, ao que ele respondeu prontamente e sem a menor hesitação ou constrangimento, “Bereshith bara Elohim”, (No início Deus criou ) e começou a recitar uma longa passagem.

Continuei a discussão na mesma linha sem deixá-lo saber que ele estava sendo colocado em seus passos. Em certo momento eu fingi estar sonhando e comecei a recitar “hodie si audieritis vocem meam.”. Ele continuou…. . nollite obdurare corda vestra. (Hoje, se ouvirem minha voz, endureça não seus corações (Heb. 3:vii-viii).

Continuando nas mesmas linhas eu disse ” nollite putare quoniarn veni solvere lege aut prophet.. .”, ele completou para mim, “non veni solvere sed adimplere.” [Não pense que vim para destruir a Lei ou os Profetas: Não vim para destruir, mas para cumprir (Mateus: xvii)].

Falei com ele mais tarde em inglês e grego e ele me respondeu em cada língua perfeitamente. Não só era linguista, mas era óbvio pelo que ele disse que era extremamente erudito, dando datas e lugares de eventos históricos e os nomes das principais figuras envolvidas. Apenas de vez em quando sua interpretação dos eventos seria ligeiramente em desacordo com nosso ponto de vista ortodoxo.

O inglês era a única língua com a qual ele parecia ter alguma dificuldade, no entanto, sua capacidade de discutir os mais variados tópicos nessa língua me surpreendeu.

Quando voltamos para a sala de estar, decidi tentar descobrir como era seu conhecimento científico; uma coisa é poder falar sobre história e religião e ter o dom das línguas, mas outra coisa é poder falar sobre assuntos científicos. Obviamente, quando se fala de ciência, ele não só deveria mostrar que possuía todo o conhecimento que temos, mas também deveria ser capaz de apresentar algo mais avançado, se ele não pudesse fazê-lo, isso provaria que ele não seria nada mais do que um habitante deste Planeta. Ninguém inventa teorias científicas no local a menos que ele seja um gênio ou a menos que não segurem água.

Qual é o seu nome? Eu perguntei a ele.

“Eu não tenho nome em seu sentido da palavra. No meu planeta os nomes são uma imagem do caráter do indivíduo. Embora eles conheçamos os méritos e deficiências de uma pessoa, mesmo que ele seja desconhecido para nós. Nossos nomes são baseados em uma combinação de sons que seria ininteligível para você, para quem um nome é tão bom quanto outro. Hoje eu tenho um nome, e se amanhã eu deveria ser mais sábio ou melhor, eu deveria ter um diferente, e assim por diante.

“Eu vejo. Bem, diga-me, então, de onde você vem?

“Venho de um satélite de Júpiter.”

“De qual satélite?”

“Não de ninguém em particular. Às vezes eu vivo em Ganimedes, e às vezes em Io, assim como você se move de uma cidade para outra.

“Mas ouvi dizer que homens de outros planetas são diminutivos, mas você é alto – mais de 1,80m. Como você explica isso? Perguntei-lhe com o objetivo de envergonhá-lo.

“Nós não somos todos diminutivos. No mesmo satélite temos homens que são pequenos ou grandes, brancos, negros ou negros. Os homens da Terra são geralmente altos, mas também há porcos e pessoas de estatura média, e o branco, o vermelho, o escuro e o preto. A natureza revela sua unidade na diversidade.”

“Isso não é importante”, eu disse. “Conhece-se o leopardo pelas manchas. Você deve estar ciente de nossos esforços prodigiosos para fazer certas descobertas. Gastamos grandes somas de dinheiro em pesquisa, muitas vezes sem resultados encorajadores. Eu mesmo, como você pode ver nos meus livros cheios de notas, faço um monte de estudos, mas até o presente, eu não posso dizer que eu aprendi nada. Eu aparenta estar perdido em um emaranhado de equações, e a simples menção de um parâmetro em um cálculo me deixa louco.

Há um problema, por exemplo, no qual nossos melhores físicos e matemáticos se desgastaram; é um que eu acredito que pode ser fácil para você responder, cuja ciência conquistou espaço para você. O problema é saber se é energia ou matéria que existe na Natureza. Gostaria de deixar claro que não ficarei satisfeito com uma simples definição acadêmica, e exigirei de você uma explicação mais detalhada, que você está obviamente em posição de dar. Você pode me esclarecer?

O Capitão do Disco Voador parecia retirar seus pensamentos para algum ponto distante, como se procurasse uma maneira de embarcar neste assunto de uma maneira simples, ou como se estivesse tentando ouvir alguém que estava falando com ele das profundezas de sua alma. Então ele me respondeu lentamente, pesando cada palavra como ele disse.

[Segue-se dentro do livro informações científicas muito detalhadas do Capitão que é de natureza altamente técnica; por isso, omitimos o material mais especializado.]


Deus, Matéria e Energia

A: Sua pergunta foi mal formulada. Você deve primeiro investigar a origem da matéria e da energia, pois ambos são expressões de outra coisa que você vê e sente, mas não estão cientes

Q: Você está se referindo ao Éter?

A: Não, eu certamente não estou me referindo ao Éter. O éter só existe ao redor de Planetas por uma certa distância, e não é nada mais do que um tipo de matéria. As camadas etéricas são efeitos, não causas. Sem os termos básicos de referência, é difícil para mim ser explícito. O que quero dizer é que eu não tenho o termo básico de referência porque você argumenta de uma maneira diferente. Não sei a terminologia apropriada na sua língua.

P: A que termos particulares você está se referindo? Matemáticos?

A: Não, teológicos ao invés de matemáticos.

P: O que a matéria e a energia têm a ver com teologia?

A: O homem só pode realmente entender os fenômenos da Natureza quando entende a natureza de Deus.

Q: Bem, eu nunca poderia acreditar na existência de Deus, pela razão muito boa que eu não podia ver que papel Ele tinha para desempenhar no Universo. Se Ele existisse, e reinou eternamente, Ele deveria desempenhar o papel principal. Mas para mim nunca pareceu haver qualquer princípio arbitrário capaz de influenciar a ordem geral das coisas, que poderia ser considerada acima de tudo o que é; porque a matéria, a energia e o movimento – dos corpos, na verdade tudo, parece resolver-se em leis específicas, principalmente de uma ordem mecânica. Cabe a você me dizer o que Ele é, o que é Sua natureza, o que Ele é composto, quais são seus atributos, como Ele age e que influência Ele tem sobre as coisas criadas; e também para provar para mim que Ele não é uma mera figura decorativa. Não quero que seja mostrado um Deus sujeito às Leis Mecânicas, em quem eu nunca poderia acreditar, mas um Deus supremo que está acima de qualquer Lei. Se Ele é subordinado à Lei, o que o subordina é superior, e se as leis operam sobre Ele, então os atributos divinos pertencem às Leis, e Deus se torna um mero sujeito. Também estou sujeito à Lei, mas não sou Deus.

A: Há uma certa verdade em seu ceticismo. Eu também não seria capaz de acreditar em um Deus que está sujeito a qualquer coisa ou à ordem natural. A lei nada mais é do que uma convenção e pressupõe um legislador. O Criador está acima da coisa criada, então Ele é o juiz que julga a Lei. Ele é o Princípio da Lei sempre que a lei se torna necessária para o Bem de toda a Criação, e para a manutenção da Ordem. Mas toda a criação em si está acima da Lei, porque os Estatutos Legais só são feitos para sua proteção. É útil para a proteção dos Seres Criados, mas se em vez de protegê-los, torna-se opressivo, o Legislador tem o poder de modificá-lo de acordo com sua discrição. Deus julga, e não é julgado em nenhuma pergunta.

Gostaria de dar minha opinião sobre Deus, dando-lhe a definição mais simples possível. Deus é uma linha isotropica paralela a si mesma e vibrando sobre si mesma em ângulos retos. Ele é como um sistema de eixos em que o ponto de intersecção das linhas é (isotrópica: aquela que exibe ações físicas iguais em todas as direções. A luz é um caso em questão.) em todos os lugares ao mesmo tempo. Então Ele é muito, porque as Dimensões estão contidas dentro dele, quando estas são por mutação-para usar uma definição terrestre-n” é igual ao infinito. Por favor, lembre-se que esta é uma tentativa de explicar, na linguagem humana, o in-explicado. Com base nessa premissa, podemos agora ir mais longe e ver como a matéria e a energia foram criadas.

Q: Você disse criado?

A: Quero dizer criado porque houve um tempo em que eles não existiam. Se eles tivessem existido por toda a eternidade eles teriam coexistido com Deus e o Pai não poderia ter sido o Criador de algo que era tão Eterno quanto Ele. Deus agiu como um transformador e os criou. O “como é o que vamos estudar.

Sua atenção deve ter sido atraída para uma peculiaridade interessante da eletricidade: se girarmos um rotor em um campo magnético formado por um ímã, imediatamente teremos um fluxo de elétrons que se movem ao longo da superfície do condutor. Eu mesmo me perguntava de onde esses elétrons vinham.

Eles devem ter vindo de algum lugar, mas onde?

Eles não vêm de lugar nenhum, eles foram gerados dentro do campo magnético. Como? Eles são o resultado de uma deformação trazida dentro do campo magnético pelo movimento do rotor.

Supondo que peguemos este gerador e o incluímos em um vaso hermético, ainda temos um fluxo de elétrons assim que começamos a girar o rotor, e se tivéssemos um medidor de pressão dentro da nave veríamos que, apesar da grande corrente fluindo entre os dois condutores, a pressão atmosférica permaneceria a mesma. Sendo assim, podemos definir o Elétron como espaço magnético deformado, propagado em forma de onda. Uma prova eloquente de que o Elétron é uma forma de onda e não uma partícula é obtida refratando-o através de um espectro.

Há um experimento que os cientistas da Terra fizeram para provar isso: um Raio Gama (um Raio Gama é de origem eletromagnética), ao passar perto de um núcleo, puxa um Elétron para longe com ele. É verdade que o momento de inércia do Raio Gama mudou. Para explicar esse fenômeno, eles criaram a hipótese bastante fina de que a aceleração do Ray foi transformada em energia, mas é absurdo acreditar que o momento de inércia de um vetor no espaço poderia ser transformado em energia.

Há uma relação entre energia e a força que transmite aceleração a um corpo, mas apenas uma certa relação. A água ativa uma turbina, mas a força gravitacional que ativou a água nunca poderia ser transformada em energia elétrica.

Tudo o que aconteceu então foi que o rotor se moveu dentro do gerador e causou uma deformação do espaço magnético. A deformação que os pontos M’ da massa M do rotor provocado no campo magnético corresponde à força da gravidade na água em uma turbina.

Se é absurdo dizer que um momento vetorial cria energia, seria ainda pior dizer que esse momento gera matéria, ou seja, que um Elétron é uma partícula. A única explicação racional é que um Raio Gama, sendo de origem eletromagnética, deformou-se por um instante perto do núcleo e a partir dessa deformação foi criado um Elétron que deve, portanto, ser uma carga de forma de onda..

… Em primeiro lugar, Deus forneceu o poder que traz a deformação do espaço e o Sol, por um processo oposto, o transforma de volta em energia, restabelecendo assim o equilíbrio. Tudo vem de Deus e tudo retorna a Ele.

É por isso que nem a matéria nem a energia existem, mas apenas o espaço deformado, que é chamado de Matéria, e o que você chama de Energia nada mais é do que um fenômeno de transição entre o espaço primordial e o espaço deformado.

Q: Eu lhe asseguro, meu amigo, que não temos meios de readequar sua Teoria, e sua explicação me fascina. No entanto, Deus é Espírito. Se Ele pode criar matéria, pode-se dizer que todos os Espíritos podem deformar o espaço e criar também?

A: Nem todos eles. Apenas o Criador, cuja natureza é diferente. Espíritos são criados, e, portanto, em algum grau manifesto, mas Deus é o Unmanifest. Somos Espíritos, mas não da natureza de Deus. O Pai é o gerador de energia, e os Sspirits são apenas uma forma de energia, embora uma forma diferente da encontrada na Matéria.

Um Espírito pode criar até certo ponto, assim como nós mesmos podemos, dentro dos limites, deformar o espaço, criar e destruir. Mas há limites para as coisas que podemos criar. Nenhum Espírito pode criar outro Espírito, por exemplo. Isso estaria além do seu poder, mas nada está além do poder de Deus. Ele não só pode criar Matéria, Energia e Espírito, como Ele fez, mas também criou outros que têm uma natureza semelhante à sua. Estes são Seus Filhos, vamos homenageá-los; eles são de natureza semelhante a Ele, e são fontes de vida e têm o poder de deformar o Espaço.

A vida não nos pertence, e se fôssemos nos dissociar de Deus, morreríamos espiritualmente. Mas esses outros seres que são de natureza semelhante ao Pai constituem com Ele uma única unidade, em si mesmos eternos.

Q: Você disse que ia falar sobre o movimento da Terra em órbita. Eu gostaria de ouvir sobre isso.

A: O movimento da Terra através do espaço é em parte resultado de sua rotação. Note-se, no entanto, que eu disse em parte, porque para explicá-lo completamente há uma outra coisa em conexão com o Sol que precisa ser estudada: a Ciência Terrestre afirma que o Sol é o centro do Sistema Planetário, o que não é o caso. A Via Láctea é um vasto campo magnético, mas um campo magnético contém dentro de si mesmo campos secundários. A Terra, por exemplo, é um campo magnético, dentro de um campo do nosso Sistema Solar, que por sua vez é um campo dentro da Via Láctea. A Terra com seus Polos também tem seus campos secundários, que o povo da Terra infelizmente ainda não descobriu.

(Muitos cientistas já suspeitam que pode haver outros Centros Magnéticos na Terra, independente de outros polos conhecidos. Thee Dutchmen colocou um monte de pesquisa sobre esta questão – Dino Kraspedon.)


UM AVISO

Em breve, as pessoas da Terra terão outros problemas para resolver. Se até o presente você não foi capaz de resolver problemas envolvendo três corpos, em breve haverá uma maior dificuldade com a entrada em nosso Sistema Solar de outro Sol. Haverá então quatro corpos em vez de três, ou seja, a Terra, os dois Sóis e o Centro Magnético.

Q: Eu não entendo você. O que é esse outro Sol que fará parte do nosso Sistema Solar?

A: Isso é o que eu quero explicar para você. Outro Sol logo entrará em nosso Sistema Solar, e teremos a sorte de ter um sistema de Sóis binários. Esta é, de fato, uma das razões, além de transmitir saudações a você, por que este encontro está acontecendo; o outro é aquecê-lo dos perigos aos quais você está exposto com o advento da Era Atômica.

P: Sim, eu gostaria de saber quais perigos estamos nos colocando abertos com o advento da Era Atômica, mas primeiro eu gostaria de ouvir mais sobre este novo Sol.

R: É um corpo de proporções monstruosas que logo se tornará visível na direção do Câncer. Ele não emitirá, no entanto, qualquer luz, pois a luz de um Sol só se torna intensa quando entra em um campo magnético secundário como o nosso Sistema Solar. Começa a girar ao entrar em tal campo. Ele deforma o espaço em torno de si mesmo e gera correntes que dão origem ao seu brilho, se fosse luminosa de antemão, sua luz criaria uma força de repulsão, e seria desviada de seu caminho. Sem luminosidade, ele se torna sujeito à pressão do nosso Sol, mas seu próprio impulso garantirá que ele entre em nosso sistema.

Ele será visto pela primeira vez como uma luz avermelhada, mais tarde se transformando em azul. Depois de atingir a área dos grandes corpos planetários, ele encontrará a força repulsiva do Sol, mas em sua traseira ele terá então o peso magnético de grandes corpos, também transmitindo uma força de repulsão a ele na direção oposta. A força de repulsão dos planetas atrás dele, a luz que ela emite e sua grande massa fará com que o Sol atual se afaste mais do centro magnético do nosso Sistema Solar. Então os dois Sóis se estabelecerão em suas novas órbitas, a de maior massa e menor luz estando mais perto do centro.

Dois Sóis no Sistema Solar criarão problemas difíceis. As órbitas de todos os planetas serão alteradas. Mercúrio se moverá para a área entre as órbitas atuais de Vênus e da Terra. Vênus se moverá para uma posição entre a órbita atual da Terra e Marte. A Terra sentirá o efeito antes que o novo Sol se instale em sua órbita definitiva. À medida que a luminosidade deste corpo aumenta, a pressão desta luz fará com que a Lua saia de sua órbita, e ela se estabelecerá em uma posição que a transformará em um Planeta. Com este deslocamento, ele tomará com ele parte da massa etérica da Terra, que irá dar-se a ela um movimento estabilizado. A Terra, por sua vez, sob a pressão dos Sóis Gêmeos, se moverá para a área agora ocupada pelos Planetoides. Em suma, haverá um deslocamento geral de todos os corpos pertencentes ao nosso Sistema Solar. Plutão será expulso do Sistema Solar, e seguirá pelo espaço até encontrar algum novo refúgio.

[“E isso acontecerá nesse dia, diz o Senhor Deus, que farei com que o Sol se desça ao meio-dia e escurecerei a Terra no dia claro” (Amos 8: ix)].

A entrada de um novo Sol em nosso sistema jogaria a Terra em uma órbita entre Marte e Júpiter agora ocupada pelos Planetoides. Todas as órbitas planetárias serão alteradas. Haverá tumulto1, mas isso será suportável, pois a força repulsiva do novo Sol restaurará rapidamente a ordem. Quando o novo Sol chegar a sua máxima luminosidade, a Terra já estará em seu lugar indicado no Sistema Solar. Certamente haverá uma mudança na fauna, mas a vida continuará, provavelmente em melhores condições do que antes.

A entrada deste novo corpo no Sistema Solar foi prevista por Nostradamus em seus famosos

Centuries, vol II, stanza 4r: “La grande estoile par sept jours bruslera

Nuee fera deux soleils apparoir.”
(A Grande Estrela queimará por sete dias, e a nuvem fará dois Sóis aparecerem) – Dino Kraspedon]

Um dos satélites de Marte será arrancado de sua órbita atual e jogado no espaço. Por ser um corpo relativamente denso, ele será atraído para o centro do Sistema Solar em vez de repelido para fora. Sua trajetória será tal que se tornará um satélite da Terra. Tudo depende de sua direção de viagem quando estabelece contato com este Planeta. Se isso for contra a direção da rotação da Terra, o choque produzido pelo seu contato com a cobertura etérica da Terra irá esmagá-la em pedaços; se for com a rotação da Terra, então o Satélite se ligará ao Planeta.

A Terra em si não será afetada por esse impacto, pois sua cobertura etérica irá protegê-la. De acordo com nossos cálculos, uma chuva de rochas é tudo o que atingirá a superfície do Planeta; principalmente na área da Europa e norte da África, Ásia Menor, Norte da América do Sul e Sul da América do Norte. O impacto transformará este agora esplêndido satélite marciano em fragmentos pesando cerca de 50 libras cada, que serão resíduos dessas áreas. Depois disso, tudo se tornará normal novamente e teremos um novo céu para viajar, e você terá uma nova Terra.

P: Quando isso vai acontecer? Em um futuro distante?

A: Será muito em breve, no final deste século. A Terra começará seu novo Milênio com uma nova fonte de luz para iluminá-la. Muitas pessoas desaparecerão para sempre da face da Terra, mas uma pequena comunidade, obediente às Leis de Deus, permanecerá, e o sofrimento presente cessará. Haverá paz e abundância, justiça e compaixão. As Almas Injustas receberão a punição que merecem, e os justos terão sua recompensa. Neste dia, muitos entenderão o triunfo do Justo e ele verá por que Deus não puniu imediatamente os Malfeitores. O Sol que está por vir será chamado de Sol da Justiça. Sua aparição nos Céus será o sinal de aquecimento da Vinda daquele que brilhará ainda mais do que o próprio Sol.

P: O que a chegada dos Discos Voadores na Terra tem a ver com o Sol que está por vir?

R: Estamos estudando todos os efeitos que sua aparência trará em sua esteira. Se nos permitissem, poderíamos, com aparelhos adequados, enviar pulsos eletromagnéticos contra ele, e impedir sua entrada em nosso Sistema Solar, fazendo com que ele se tornasse incandescente fora do nosso Sistema. No entanto, impedir sua chegada seria equivalente a se opor à vontade de Deus e permitir que a injustiça que existe aqui continue indefinidamente. Aqueles com consciência limpa e aqueles em paz com seu Criador não precisam de medo. Deixe-o vir.

Viemos aqui para fins de estudo, mas também para fazer um apelo desesperado ao Homem para evitar a catástrofe e viver em Paz. A Terra não é o Centro do sistema planetário, como se acreditava anteriormente, mas o Centro do Mal. Se o homem se reformasse, é possível que o Criador tivesse compaixão por ele. Evite a guerra, porque o homem pode destruir seu Planeta com as próprias mãos sem a intervenção das Forças da Natureza. Não é difícil ser bom; é suficiente para Fazer Nenhum Mal. Deus fará o resto.


Superando a gravidade

P: Você tem alguma objeção em nos dizer sobre os problemas de navegação em Discos Voadores?

A: Nenhum. É óbvio que viagens interplanetárias não serão possíveis para o povo da Terra por algum tempo, mas daremos a eles uma mão amiga mostrando-lhe o que acontece.

A pressão atmosférica na Terra é de 1.033 kg. por sq. cm. Se uma folha de papel for colocada sobre a boca de um copo cheio de água e virada de cabeça para baixo, a pressão atmosférica sobre o papel evitará que a água esteja sujeita à força da gravidade e derrame do vidro.

Usamos essa pressão atmosférica natural no Disco Voador quando voamos através de sua atmosfera. É isso que nos dá a força propulsiva necessária.

Se mantivermos essa pressão debaixo do Disco e provocarmos uma descompressão por cima, a nave receberá um impulso ascendente fantástico que nenhuma força conhecida pode igualar.

P: Por favor, seja mais explícito, eu não entendo muito bem o sistema que você descreve.

A: É muito simples, meu amigo. Criamos um vácuo na direção da viagem. Se tivermos baixa pressão de um lado, o outro lado está sujeito à pressão atmosférica total. Qualquer objeto, qualquer que seja sua natureza, só pode ser movido se alguma diferença de potencial energético for criada. Por exemplo, com um Disco Voador de 20 m.(65 pés) de diâmetro, temos 3.141.600 m² como a superfície do disco.

Com uma pressão atmosférica de 1.033 kg. por cm², podemos calcular que a força que opera em um Pires de 20 m. de diâmetro é igual a 3.278.272,8 kg.

Isso lhe dá uma ideia do que está envolvido, mesmo, o menor tipo de Pires desenvolve um impulso de aproximadamente 3 milhões de kg., enquanto mesmo seus aviões mais poderosos não podem desenvolver mais de alguns milhares de quilogramas de impulso.

Otto de Guericke foi o primeiro a notar a tremenda pressão da atmosfera. Foi em 1654 que ele tentou separar dois hemisférios em que havia criado um vácuo. Nem mesmo a força de dezesseis cavalos poderia conseguir isso. Antes disso, ele tinha visto a pressão atmosférica esmagar uma caldeira de cobre em que a pressão era baixa como um pedaço de papel. O movimento do ar nas camadas superiores da atmosfera suporta essa incrível pressão; se não fosse por estes, seríamos esmagados pelo volume de gás acima de nós.

Deve ser perfeitamente viável construir um Disco Voador na Terra. Sua cobertura poderia ser feita de qualquer material, pois não haveria atrito com a atmosfera. Eles podem ser de qualquer forma, embora a forma do disco seja a ideal, já que uma metade pode tomar toda a força da pressão atmosférica, enquanto a outra está imersa em um vácuo. A velocidade e a manobrabilidade de uma embarcação em forma de cubo seriam prejudicadas devido à resistência do ar em seus lados, que consequentemente estariam sujeitas a atritos.

[Infelizmente, uma nave deste tipo poderia ser usada na guerra, mas também revolucionaria nossos sistemas de transporte se pudesse ser construído na Terra. A distância não seria um fator, navios e caminhões poderiam ser dispensados, pois o carregamento e o descarregamento poderiam ocorrer em qualquer lugar sem ter que construir campos de pouso especiais – Dino Kraspedon]

Em um disco de transporte padrão, essa pressão seria muito maior. Com uma embarcação de 100 m de diâmetro, obteríamos um impulso de 78.540.000 kg. e com um de 200 m de diâmetro o impulso seria de 314.160.000 kg.

Não há limite para o tamanho ou capacidade dessas embarcações. Construímos grandes cargueiros de até 600 m de diâmetro com uma carga de quase 300 milhões de kg.

Isso é mais ou menos teórico porque nunca usamos toda a capacidade de transporte de carga desses cargueiros gigantes. Se o fizéssemos, não teríamos força suficiente disponível para desenvolver altas velocidades.

Quando realizamos qualquer viagem interplanetária usamos uma embarcação de baixa capacidade. O tamanho depende do objeto da visita. Geralmente, discos voadores com um diâmetro de 20 metros são os mais úteis. Estas embarcações, totalmente equipadas, pesam 250.000 kg. A capacidade total desta nave seria de 3 milhões de quilos, mas usamos essa margem de energia para nos permitir operar em alta velocidade.

Uma nave nunca poderia desenvolver energia nesta escala, nem mesmo a Energia Atômica pode se comparar com as forças da Natureza. E a Natureza faz isso sem envenenar a atmosfera! Está claro para você agora?

Q: Eu entendo. Que processo extraordinariamente simples!

A: Sim, é a própria simplicidade. É só uma questão de saber como. Mas não estaria completo a menos que eu lhe dissesse como começamos a criar um vácuo externamente. Primeiro explicarei como o Disco Voador é dirigido. Podemos mover esse vácuo em qualquer direção. O curso é definido operando uma alavanca comum em uma montagem hemisférica que move o vácuo na direção necessária. Se quisermos que ele vá em uma direção particular, produzimos um vácuo desse lado do Disco, e imediatamente a atmosfera produz uma pressão no lado oposto nos empurrando na direção do vácuo. Imaginemos que estamos nos movendo em voo horizontal de nível, se quisermos fazer uma curva em ângulo reto, tudo o que temos que fazer é mover o vácuo para o topo, ou para um dos outros lados, e vamos nos mover na mesma velocidade na nova direção. Podemos mudar de direção abruptamente e não precisamos descrever curvas. Você entende agora?

Q: Sim, eu vejo toda a importação dele. Isso pode revolucionar todos os nossos conceitos de navegação aérea. É uma máquina diabólica.

A:Depende do uso a que é colocado. Eu ainda tenho fé na Humanidade e prometo que se um dia você concordar em abolir a Guerra, eu pessoalmente virei e ajudá-lo a alcançar esses resultados, e outros mais importantes. Vou te ensinar como fazer da vida um paraíso.

Mas como eu estava dizendo, criamos um vácuo e, para usar suas palavras, um impulso “diabólico”. O atrito, no entanto, não surge, pois estamos sempre entrando no vácuo.

E sem atrito a nave não aquece. Muitas vezes precisamos de aquecimento extra para nos manter aquecidos, porque o vácuo causa uma queda na temperatura.

Não há dificuldades técnicas envolvidas na produção de um vácuo externo. Você sabe que Os Raios Cathode têm a estranha propriedade de decompor a atmosfera pela qual eles passam. Sob a ação desses raios, os elementos da atmosfera revertem para seu estado etérico. Além disso, fazemos os Raios Cátodo cruzarem os Raios de Ânodo em um ângulo de 45 graus. Isso conseguimos usando alta tensão e corrente.

P: Onde está o aparelho cathode ray situado?

A: Por toda a área periférica. Ou seja, toda a borda externa da nave age como um emissor de Cathode Ray. Estes Raios são mortais e só podem ser projetados para fora. Se um Ser Humano fosse exposto a raios tão poderosos como os que usamos, suas células seriam destruídas, e ele sofreria queimaduras letais.

Mas dentro da nave há menos radioatividade do que no ar que é respirado na Terra.

A coloração que os Discos parecem emitem em voo é causada por esses Raios, a mesma coisa acontece em um tubo Crookes ou Geissler. Eles são resultado da baixa pressão ou vácuo que criamos. Se quisermos ir muito rápido, usamos um vácuo absoluto, e nos movemos através do espaço em um flash. Outras vezes, usamos um semi-vácuo, e nos movemos mais lentamente. A intensidade do vácuo é proporcional à corrente utilizada e é controlada por um reostat. Se quisermos seguir um curso ondulante, usamos uma corrente pulsante.

Quando estamos usando um semi-vácuo, você observa uma luminosidade ao nosso redor à noite; mas se estamos usando um vácuo absoluto nos tornamos invisíveis porque a luz não existe no vácuo. Esta é a razão pela qual as pessoas sempre dizem que parece que estamos parados e de repente desaparecem e aparecem em outro lugar.

[Uma diminuição da pressão em tubos de raios catódicos faz com que a luz neles desapareça. A luz, portanto, é um efeito atmosférico, e se fosse possível vivermos no vácuo estaríamos na escuridão – Dino Kraspedon]

Devo admitir que outros métodos também são usados, como o sistema Bismuth, que ainda é usado em algumas embarcações para configurar uma diferença de potencial energético, na verdade este era o sistema que costumávamos usar no início.

[O Capitão descreveu este outro processo para nós, mas como era um complexo preferimos não repeti-lo aqui.]

Depois de ter viajado por algum tempo nessas caixas de Bismuth, um Ser de outro Planeta nos explicou como usar um método mais simples. Agora eles são usados apenas para viagens espaciais por entusiastas como uma espécie de esporte, assim como você ainda usa veleiros.

Isso, meu amigo, é como você pode fazer uma nave tão rápido quanto, ou até mais rápido do que, um relâmpago.

P:I aceitar totalmente a explicação que você deu. É claro que uma nave que poderia criar um vácuo externo deve ter grande manobrabilidade; poder motivo e carga útil. Parece-me, no entanto, que este sistema não seria muito bom para fugir da Terra. É fácil de manobrar enquanto houver pressão atmosférica. Mas em uma certa altura, a menos que nossos cálculos estejam basicamente errados, essa pressão não vai para nada. Gostaria que falasse francamente sobre o método que usa para escapar da Terra, porque o que nos disse até agora é apenas uma parte da resposta.

A: Você está me forçando a elucidar um ponto vital, que eu teria preferido não te contar. Uma vez que você saiba disso, não teremos mais segurança e correremos sérios riscos devido ao amor inato do homem pela conquista. Mas ninguém pode se recusar a dizer a verdade quando lhe perguntam. Eu vou te contar tudo, mas você deve prometer manter em segredo os meios pelos quais produzimos esta força.

Q: Isso significa que eu não sou para dizer isso para outras pessoas?

A: Claro. Se não houvesse nada no que eu tenho para lhe dizer eu não estaria impondo condições. Mas você deve usar seu próprio julgamento. Não posso proibi-lo de passar para outras informações que possam contribuir para o bem-estar da comunidade. Mas insisto que a informação que lhe dou sobre meios de destruição deve ser guardada apenas para você. O que eu quero dizer pode trazer destruição até para nós, pois seria possível para você chegar à nossa Pátria. A ameaça que paira sobre o mundo como resultado do desenvolvimento tecnológico humano estaria sobre nós, e poderia transformar homens em demônios. Se você aprovar as outras coisas que eu digo, você pode falar sobre elas e realizá-las. E se a qualquer momento surgirem dificuldades técnicas, estarei pronto para ajudá-lo a resolvê-las. É suficiente para você me chamar em pensamento, e eu saberei, mesmo à distância.

A amizade não impõe condições, e a generosidade deve ser nosso lema universal.

Peço também que se um dia você quiser fazer uso dessas informações para o Bem do Mundo, você deve primeiro dizer ao seu próprio povo, pois os brasileiros não são agressivos e abominam a guerra. Não tente explicar o problema a ninguém que pudesse transformar uma dessas naves em uma arma de destruição em massa.

No entanto, se o seu Povo não atribuir qualquer importância à informação, você deve publicá-la como achar melhor. Você deve fazer isso sem qualquer restrição, para que todos os homens saibam disso e nenhuma Nação possa obter uma vantagem sobre outra.

Agora vou satisfazer sua curiosidade, mas primeiro, preste atenção especial a certos detalhes que lhe disse. Em torno de cada globo habitado no espaço há um fluido etérico que o envolve e cria condições adequadas para a vida.

É um habitat temporário, não só para os homens, mas também para os espíritos. Ninguém pode escapar disso a menos que ele saiba como produzir outro para seu uso.

P: Espíritos também são pegos dentro deste envelope etérrico?

A: Sim. Um Espírito que habita um planeta tem um corpo fluido ao seu redor. Um Espírito que ainda está vinculado pela Matéria até certo ponto, não pode viver sem ele. Se ele tentar escapar de seu mundo particular, seu corpo espiritual o deixa e é rea assimilado no envelope etérico do Planeta. Assim, até os espíritos são prisioneiros enquanto forem incapazes de rejeitar o mal, e permanecer ignorantes.

Muitas pessoas chamam isso de fluido de “Éter”, mas o rótulo é de pouca importância. É uma questão de palavras, que não afeta o problema. O importante é saber do que é feito.

Poderíamos muito bem chamá-lo de “Fluido Elétrico”, que seria mais perto da verdade. Na eletricidade há uma carga negativa, e uma carga positiva. Na física temos prótons e anti-prótons, messões e anti-mesons, elétrons e anti-elétrons, matéria e antimacoma. Na Terra só encontramos matéria, mas é possível criar antima questão.

Um corpo feito de antima questão seria expulso da matéria. A força da repulsa seria inacreditável. Existem embarcações interplanetárias que são compostas inteiramente de antima questão,mas o campo de força criado por esse meio tem um efeito aterrorizante sobre as propriedades físicas das pessoas que viajam nelas. Por esta razão nossas naves espaciais são feitas de matéria.

Além disso, fazemos nosso próprio fluido etérico dentro do Pires, e mudando sua polaridade de modo a nos opormos ao da Terra somos repelidos do Planeta a uma velocidade correspondente à diferença de polaridade entre o Pires e a Terra.

Um conhecimento de campos magnéticos é necessário. Você na Terra ainda não os define corretamente, mas sabemos que o campo magnético é composto pelos “Fluidos Elétricos” do Planeta. Se “fabricarmos” um Fluido Elétrico que difere do envelope etérrico terrestre, o campo magnético da Terra não nos afeta mais, e gozamos de total liberdade de movimento. Podemos mudar de direção de uma maneira que te surpreenda, podemos nos mover à velocidade da luz e não sofrer efeitos nocivos. É uma completa quebra das algemas que ligam o Homem.

Dentro da atmosfera terrestre sempre usamos um sistema de vácuo, mas quando saímos dessa atmosfera colocamos o maquinário anti-elétron em ação, e nossa velocidade de fuga é então fenomenal. Sem querer aterrorizar você, posso dizer que normalmente podemos chegar a Marte em questão de minutos, a menos que haja um colapso, e então a viagem se torna tediosa.

Quando você entrou em nossa nave eu chamei sua atenção para o tipo diferente de luz dentro que não emanava de nenhuma peça particular de máquinas, mas foi causada pelo próprio ar ser luminoso. Você também notou um sentimento agradável, quase espiritual de leveza, um estado de quase levitação, bem como um sentimento de grande bem-estar.

Naquela época você estava em uma atmosfera etérica artificial e não na atmosfera terrestre comum. Quando os olhos estão acostumados a ver o Éter Terrestre, o Éter artificial parece luminoso.

Sem este Éter artificial nenhuma viagem interplanetária é possível. Se tentasse fazer uma viagem sem essa precaução, enfrentaria a morte certa. O fluido que te liga aos seus corpos o deixaria, e seus corpos seriam instantaneamente cristalizados. Este é o mistério dos corpos cristalizados que atingem a Terra na forma de meteoritos, qualquer corpo no espaço sem éter sofre esse processo, seja ele feito de carbono, cálcio, ferro, níquel, ou qualquer outro elemento.

Depois de passar para fora do campo magnético da Terra, tudo o que precisamos fazer é criar um Éter semelhante ao do Planeta para o qual estamos viajando, e então seremos atraídos por ele. Podemos criar este Éter de outro planeta mesmo na Terra, para que sejamos repelidos da Terra e atraídos para o outro Planeta cujo Éter está contido dentro do Disco.

Ao chegar a esse Planeta, só precisamos mudar o Éter novamente para nos impulsionarmos mais uma vez para o espaço.

Por isso, a vida pode ser mantida dentro da nave, seja qual for sua construção, e ao mesmo tempo ela nos fornece um meio de locomoção.

P:I acho que eu entendo o sistema, é racional o suficiente, mas a dificuldade parece estar em fazer e mudar esse “Fluido Elétrico” conforme necessário.

A: Você está errado lá. Na Natureza nada é difícil. As coisas só são difíceis para aqueles que as fazem assim. Vamos voltar ao que eu lhe disse sobre um elétron ser uma onda e não uma partícula. Um de seus físicos disse, corretamente, que um Elétron é uma integração de ondas eletromagnéticas. Mas uma onda eletromagnética pode ser de polaridade positiva ou negativa. Se fôssemos enviar pulsos eletromagnéticos entre ímãs, as ondas assim produzidas criariam um Éter diferente daquele na Terra. Uma variação na distância entre as placas traria uma modificação no Ether produzido. Isso é o que você queria saber em termos claros e simples. Não posso dizer mais claramente do que isso.

P: É necessária muita energia elétrica para trazer esse efeito?

A: Tudo é relativo. Em nosso Pires, a tensão e corrente são muito altas de fato. Em uma pequena embarcação usada para pesquisa, muito pouca corrente seria necessária.

P: De onde você obtém essa energia para alcançar esses resultados?

A: Existem vários meios de fazê-lo. Pode ser obtido transformando hidrogênio em hélio a baixa temperatura e bombardeando deutério com mesons mais pesados, liberando uma quantidade fabulosa de energia; ou usando raios ultra em uma solução ácida saturada com núcleos de hélio. Este último processo é o mais usual.

P: Como ocorre a transformação dos Ultra Rays em energia utilizável?

R: Se você permitir que a Radioatividade passe por um campo magnético, você terá Raios Alfa, Beta e Gama. Os primeiros são os Núcleos de Hélio, o segundo são elétrons e o terceiro são Raios Gama que são semelhantes aos Ultra-Raios em seu conteúdo eletromagnético. Estes três componentes da Radioatividade estão relacionados.

Os Ultra Rays, ou Raios Gama, ao passar perto dos Núcleos de Hélio, provocam uma deformação do Espaço e dão à luz eelectrons até que sua energia de onda seja gasta. Assim, quando os Raios Gama passam por uma solução ácida saturada com núcleos de hélio, os elétrons recém-criados giram em torno dos Núcleos, mas o ácido os impede de se unirem aos Núcleos, e eles são coletados em placas na parte inferior do aparelho. Isso fornece um suprimento inesgotável de energia que não requer nada mais do que uma pequena solução ácida e alguns Núcleos de Hélio.

Há, no entanto, outros meios. Em uma viagem interplanetária algo pode dar errado com o aparelho que usamos para transformar hidrogênio em Hélio e o aparelho de coleta Gamma Ray. Se isso acontecesse, recorreríamos à Energia Solar. Passaríamos por um tubo de gás de carvão. Este gás, com um catalisador adequado, une-se com a água, transformando-o em formaldeído. Este produto é então oxidado dando-nos carvão-gás e água novamente. Neste segundo processo a energia solar é transformada em corrente elétrica utilizável, o que é suficiente para atender aos nossos requisitos imediatos, pois nas viagens interplanetárias não há falta de energia propulsiva para a embarcação. As Leis da Inércia nos fornecem a aceleração necessária para alcançar o Planeta que é nosso objetivo.

P: Então isso explica todo o funcionamento do Disco?

A: Sim, é assim que se move. Temos, no entanto, vários instrumentos de navegação, como você foi capaz de ver. Supondo que você tinha que explicar a alguém como um avião a jato se move, você naturalmente diria que um impulso para trás é exercido que impelia a nave em uma direção para a frente. Isso seria verdade, mas dentro do avião há muitos instrumentos de navegação.

Se eu começasse a falar com você sobre o equipamento que usamos para detectar a cobertura etérica de Planetas, só isso levaria cerca de três horas. O instrumento que usamos para a comunicação interplanetária também é complexo; é baseado em princípios que você já conhece, mas não colocou em prática.

As descobertas científicas mais importantes ainda devem ser feitas nas coisas mais simples. O segredo está em se concentrar na questão principal sem entrar em fórmulas abstratas.

Com uma fórmula você pode explicar um fenômeno, mas você não pode descobri-lo. Na ciência temos que tentar descobrir coisas, mesmo que tudo já pareça ter sido descoberto. Trazer fórmulas para o cálculo apenas complica algo que antes era simples.

Como sua fórmula ajudaria a mostrar que uma diferença de potencial energético poderia ser produzida entre a pressão atmosférica e um vácuo, produzindo assim um impulso. Se você tivesse descoberto isso, não teria que ser provado. A nave em si teria sido demonstração suficiente. Qualquer outra coisa é pedantismo acadêmico.

A Ciência Terrestre não aceita nada que não possa ser provado matematicamente, e então só é acessível a poucos. Posso assegurar-lhe que muitas ideias brilhantes foram arquivadas pela única razão que seus criadores não foram suficientemente versados em matemática para fornecer as provas necessárias. Isso mata o espírito de pesquisa em um mundo onde tanta coisa ainda está para ser descoberta.

Q: Supunhamos, até então, que o disco simplesmente cancelou o efeito da gravidade.

A: Você supunha algo que não existe. A gravidade não é mais do que uma interpretação errada de uma combinação de fenômenos.

Q: O quê? A gravidade não existe?

A: Não existe. O que a Ciência chama de Gravidade é uma questão de diferença na densidade dos corpos. Para explicar; a fumaça do seu charuto é mais pesada do que o ar circundante. No entanto, ele sobe como resultado do calor. Ou seja, a diferença de densidade é compensada pela temperatura da fumaça. Portanto, dois fatores estão no trabalho que podem influenciar esse fenômeno; densidade e temperatura.

Podemos ver que um balão cheio de gás hidrogênio sobe, de acordo com o volume do gás. A mesma coisa acontece com Hélio. Ou seja, corpos de menor densidade tendem sempre a subir, da mesma forma que a água e o óleo se separam, devido à densidade: A gravidade não impede que corpos de menor densidade subam. Enquanto no ar, que é de baixa densidade, objetos pesados caem rapidamente, na água mais densa do que o ar – eles caem mais lentamente. O terceiro fator que influencia a Gravidade é a massa de atmosfera e éter em torno de um Planeta; isso pode, no entanto, ser incluído no fator de densidade. É errado atribuir maior ou menor gravidade a um Planeta sem saber a extensão de sua massa gasosa e a densidade de sua atmosfera. Em Saturno, por exemplo, devido à ausência de atmosfera, a gravidade é considerada zero. Em Júpiter, que tem uma atmosfera muito rarefeana, é bem diferente. Um corpo em queda tem uma alta aceleração inicial e então colide com a baixa densidade do Planeta. Em Mercúrio, no entanto, onde a cobertura etérica se estende por mais de 6oo,ooo km., a pressão atmosférica é alta e a gravidade é tremenda.

O quarto fator que influencia a Gravidade é o componente vertical do Magnetismo. No entanto, a atração que exerce sobre um corpo é, com pequenas variações, a mesma de qualquer outro corpo. Assim, é que a velocidade de queda no vácuo é constante. No entanto, essa atração não é devido à massa, é causada pelo Magnetismo com o qual todo o corpo é dotado.

Por último, temos a energia que exerce pressão sobre o Universo e penetra nossos sistemas de Galáxias, dos quais falei com você mais cedo. Como um corpo não pode estar sujeito a pressão em todas as direções, a Terra sempre a protegendo dessa pressão de um lado, o corpo sente uma diferença nas forças que aagem sobre ele e cai na superfície da Terra.

Esta tremenda pressão universal, que é o resultado da vibração de Deus no ponto infinito do Universo, é o que mantém a atmosfera dos Planetas.

Como a pressão atmosférica tem o fabuloso poder que usamos para impulsionar nossos Pires, e como a tendência dos gases é para a expansão contínua, todo o envelope gasoso em torno de um Planeta se expandiria para o vácuo se não fosse mantido pela pressão constante.

Quando Newton viu a maçã cair, ele não podia adivinhar que naquele momento ele testemunhou o efeito da Presença Divina no Universo. Assim é que nos movemos e temos nosso Ser em Deus.

A gravidade é, então, uma combinação de fenômenos e nunca uma força individualizada.

P: Por que o calor afeta a gravidade?

A: Porque reduz a força magnética dos corpos. Você pode provar que um ímã perde suas propriedades ao ser aquecido. Como a matéria é feita de ondas estacionárias, o calor tem uma influência poderosa sobre elas. Aumentando a frequência dessas ondas eles começam a emi-se luz. Além disso, é sabido que o calor reduz a densidade de um corpo. Assim, tende a subir. Isso pode ser melhor visto no caso de água fervente. A água mais quente tenta se colocar acima do refrigerador, produzindo correntes. Notamos que o calor é um fator que afeta a Gravidade, não porque é em si um agente causando os fenômenos da Gravidade, mas porque influencia o Magnetismo e a Densidade.

Q: Isso significa que nossa ciência está errada?

A: Muito errado.

Q: Então toda a nossa Física, incluindo a Relatividade, caem no chão?

A: Apenas os princípios falaciosos caem no chão. Outros certamente permanecerão válidos. Parece estranho para você que isso aconteça? Ptolomeu era um gênio, mas todo o seu sistema entrou em colapso como um pacote de cartas. A mesma coisa aconteceu com Aristóteles. Por sua vez, Isaac Newton veio com a física da Relatividade, e seus dias estão contados.

P: Bem, e a Curvatura da Luz, observada por Eddington, Crommelin e Davidson durante o Eclipse do Sol em 29 de maio de 1919, que fazia parte da Teoria de Einstein?

R: A Curvatura da Luz não se deve à ação da massa do Sol, mas é causada pelo Centro Magnético do Sistema Solar situado perto do Sol. Mesmo dentro de um solenoide você pode ver que um fluxo de elétrons é desviado por um campo magnético. Não há nada de novo nisso. Se a luz fosse desviada ao passar perto de uma massa, este fenômeno poderia ser claramente observado nas proximidades de planetas, digamos Marte, quando está perto da Terra. Eclipses da Lua, por exemplo, proporcionariam a melhor oportunidade para tal observação. No entanto, essa curvatura só foi vista precisamente onde o centro magnético do nosso Sistema Solar deve ser encontrado. Se não houvesse repulsa entre energia e magnetismo, seus motores não girariam. Portanto, a luz é desviada pelo centro magnético e curvas ao redor do Sol. Se você tivesse um aparelho adequado, você veria que a luz também se curva no lado oposto ao centro, como se estivesse tentando fugir do Sol.

Gostaria de insinuar que a curvatura do espaço é anti-científica. O espaço primordial não é relativo a nada e não tem forma alguma. Não é nem uma curva nem uma linha reta, e não tem dimensões, é simplesmente espaço, infinito em todas as direções. Onde qualquer um observador pode se colocar, ele sempre terá diante dele o Universo infinito.

P: Então nenhum limite pode ser concebido para a Matéria?

R: Se no espaço houvesse um ponto que pudesse servir como um Limite para a Criação, deus seria contido. Mas Deus é Infinito, e o Universo é um ponto para Ele. Só uma ciência materialista poderia limitar a Criação. Se você conceber um limite, o que você teria além dele?

Q: Eu deveria dizer, nada.

A: Realmente, você não teria nada. Mas o espaço não é nada transformado por Deus. A matéria também não é nada. Se compreende alguma coisa, foi a Energia Divina que trouxe a vida ao espaço. Para você Matéria é algo; mas faça um fluxo de Raios Cátode passar por ele e ele desaparecerá da sua vista. Você só verá espaço.

Tudo o que aparece é uma ilusão de nossos sentidos. Só uma coisa é real; que é o Espírito, e isso é exatamente o que a Ciência Terrestre não admite.

P: É difícil para nós aprender que nossos conceitos mais queridos estão completamente em desacordo com a realidade.

A: De fato, um dos aspectos ruins do Homem é sua obstinação. Se eu tivesse errado por uma eternidade, eu receberia o dia em que alguém me iluminaria. Acredite, estou dizendo a verdade. Que dor alguém pode sentir colocando o erro de lado e vendo a Verdade

Q: Mas é difícil para nós abandonar a Ciência da Relatividade.

R: Será difícil para a Ciência, também, abandonar os experimentos de Hertz e Fresnel, que se estabeleceram sobre a Teoria das Ondas da Luz. No entanto, quando a Ciência tem que explicar a Teoria Eletrônica, a Teoria das Ondas é deixada de lado; quando a Teoria Atômica está em questão, vira as coisas de cabeça para baixo e diz que o Elétron é uma partícula, e tem recurso à Teoria de Planck.

Antes de abandonar a Relatividade, primeiro decida se a Teoria das Ondas ou a Teoria das Emissões são verdadeiras. Verifique a verdadeira velocidade da Luz. Determine a ação e a reação do Sistema Planetário. Nunca use duas interpretações em uma Ciência, a fim de explicar a mesma coisa.

P: Eu notei os fatores que você diz afetar a gravidade, mas há um caso que deve ser considerado. Se é verdade que a densidade dos corpos afeta a gravidade, no topo de uma montanha o ar é mais rarefeito de modo que o ferro, por exemplo, estando em um meio mais atenuado, deve pesar mais. No entanto, o contrário é o caso, quanto maior vai, menos pesa.

A: Mas eu disse também que a gravidade é afetada pela massa de Éter ao redor do Planeta. Se o peso da atmosfera, ao nível do mar, equivale a uma coluna de mercúrio de 76 cm. para cada 10 m de altitude, a coluna cai cerca de 1 mm. Assim, devemos considerar a pressão que os corpos sofrem em função de sua densidade. Quanto menor a pressão atmosférica, menos é o peso. Se a gravidade fosse uma força com seus próprios atributos e fosse aquela que sustentava corpos no espaço, seria bastante difícil para a Ciência Terrestre explicar por que os meteoros são mantidos em suas órbitas. Todos os anos a Terra colide com milhões de meteoritos, sempre no mesmo mês. Isso significa que eles estão localizados em um só lugar. Agora, se houvesse uma Lei da Gravitação, todos eles viriam em direção à Terra, ou já foram atraídos pelo Sol. No entanto, aqueles que conseguem penetrar a massa de Éter caem na Terra e os outros permanecem no mesmo lugar. Eles estão, então, em equilíbrio entre a Atração Magnética do Centro do Sistema Solar e a força repulsiva do Sol. Para que a Gravidade Terrestre existisse, teria que haver atração solar, mas nenhuma delas existe.

Se meu raciocínio estivesse incorreto, corpos no vácuo nunca teriam a mesma velocidade de queda.

Por uma questão de argumento, vamos supor que a Gravidade existe. Mas se todos os corpos em uma queda de vácuo com velocidade igual, deixa de ser verdade que a Matéria atrai a Matéria em proporção direta à sua respectiva massa, pelo menos não se esta Matéria estiver no vácuo. Se essa premissa for demolida, é fácil ver que se existe um vácuo entre os Corpos Celestes, a Gravitação Solar – se existir – deve atrair todos os corpos igualmente, independentemente de sua massa. Mas toda astronomia terrestre é baseada na Massa de Corpos e sua distância uma da outra.

Portanto, sua concepção do Cosmos está errada. Além disso, quando Newton supostamente uma Força Gravitacional existiria, ele teve que imaginar a existência de um Éter. Ele não poderia conceber esta Força sem que houvesse um veículo para ela. E é estranho que, mais tarde, a Relatividade negue o Éter e ainda aprova a Gravidade. Ele admite o que o próprio Descobridor da Gravidade não poderia admitir.

Sendo assim, não cancelamos a Gravidade. Tudo o que fazemos é usar as forças da Natureza. Se nossa nave voasse com base no cancelamento da Gravidade, como você supõe, só nos moveríamos em uma direção. Nós sempre voaríamos contra a rotação da Terra, e seria impossível voar com ela, ou em qualquer lugar perto dos poloneses. Além disso, estaríamos limitados à velocidade insignificante de 1.660 km/ por hora.

Agora, é risível imaginar uma nave vinda de outro Planeta com velocidade tão baixa e com apenas um movimento direcional. Tal Disco seria muito inferior às aeronaves terrestres e seria um caso de nossa vinda aprender com você algo sobre manobrabilidade e como voar mais rápido…


ASTRO-NAVEGAÇÃO

P: Um dia poderemos viajar pelo espaço e visitar outros planetas?

A: Sim, será possível, como é, de fato, no momento. Fala-se agora muito sobre a Terra de viagens pelo Espaço e de conquistar outros Mundos e seus habitantes, mas antes de correr os tremendos riscos envolvidos, é preciso conhecer todas as Leis que regem o Sistema Planetário e as peculiaridades de cada um dos Planetas. Se alguém ignorasse essas Leis, seria destruído antes de deixar a matéria rarefeana que circunda a Terra; e se quisermos ter o prazer de sermos conquistados, devemos odiar vê-lo sofrer sem ter excedido o envelope gasoso do seu próprio Planeta! Não há uma porta visível para o espaço, mas está fechada para aqueles que ignoram as leis fundamentais que o governam.

O conhecimento é a chave que o abre.

Mas em vista do estado do conhecimento terrestre, este ainda é um sonho impossível. A ciência não será capaz, de uma só vez, de alcançar a Conquista do Espaço quando não sabe nada sobre o que acontece mais de 300 milhas acima.

Como você acha que o Homem, que não sabe nada das forças que se movem e mantêm os planetas no espaço, pode deixar a Terra? Isso equivaleria a um edifício selvagem primitivo de um avião e voar.

Conseguir isso usando propulsores de combustível é impraticável por várias razões, mesmo que apenas porque o combustível é desnecessário. Se as forças que operam no Sistema Planetário fossem de fato aquelas que a Ciência Terrestre as afirma ser, o Pires seria atraído pelo Sol ou pelos Planetas e, neste caso, a Lei da Inércia que mantém a aceleração transmitida a um corpo não seria válida. Mesmo neste ponto, a ciência deu errado.

Se alguém usasse combustível, uma quantidade tremenda dele seria necessária em vista do tempo que levaria para uma nave deste tipo chegar a outro Planeta. Então há a questão da viagem de volta. Este método é obviamente impraticável.

A dificuldade enfrentada pelo povo da Terra é ilusória. Eles só precisam entender as leis cósmicas e tudo será facilitado. Se formos capazes de entendê-los, você também será capaz de.

O Sol da Terra exerce uma força repulsiva na Terra. Além disso, como era óbvio para eles que um corpo não poderia se manter em uma órbita quando agido por uma única força, eles impuram qualidades milagrosas à força centrífuga, acreditando que foi a Segunda Força que manteve os Planetas em suas órbitas. Nada poderia estar mais longe da verdade.

Mesmo que a força centrífuga tenha desse o equilíbrio necessário a um Planeta, o que não dá, há uma omissão gritante nesta Teoria, ou seja, a força que impelia um Planeta em uma certa direção. Eles vêem que um Planeta é atraído, eles também vêem que a força centrífuga contrabalança essa atração, mas eles não vêem que eles ignoraram uma Terceira Força que dá um movimento planeta. Quando se gira uma pedra na extremidade de uma corda, a corda representa a Força da Atração e a Força Centrífuga desempenha o papel de repulsão, mas o indivíduo representa o Terceiro Fforce que dá direção à pedra.

Seu termo é “Força Centrífuga”, o que significa dizer que todos os pontos em um corpo tendem a voar para longe do centro. Colocamos de forma diferente. Em nossa opinião, todos os pontos M’ tendem a seguir uma linha reta no espaço na direção da força propulsora e em uma tangente ao plano equatorial do corpo.

É essa interpretação da Força Centrífuga que dá direção ao Pires quando deixamos a Terra ou qualquer outro planeta. Sem ele não haveria viagens interplanetárias.

Agora vamos analisar as consequências do Sistema Terrestre baseado na Atração Solar e Repulsão através da Força Centrífuga: se todos os pontos de um corpo tentassem voar para longe do centro, a força da Atração Solar resistida pela Força Centrífuga daria origem a uma perda de energia e o Planeta se tornaria estacionário.

Devemos também ter em mente que essa perda de energia seria dupla, pois a Terra desenvolve dois tipos de Força Centrífuga, o primeiro devido à sua velocidade orbital, e o segundo devido à sua rotação axial. O trabalho não pode ser realizado por um corpo sem uma fonte de energia. Se a terra em si fosse a fonte do poder, então toda a Física, termodinâmica incluída, estaria errada.

Isso por si só é suficiente para mostrar a incorreção da Astronomia Terrestre, pois uma Teoria só é válida quando responde a todos os problemas relevantes envolvidos.

Júpiter, com uma massa 317 vezes maior que a da Terra, deve estar sujeito a uma atração muito maior do que a Terra, mas a velocidade em órbita não é alta o suficiente para contrabalançar isso e mantê-la em órbita. Este planeta tem uma grande massa e uma velocidade baixa. Sendo este o caso, ou a velocidade orbital da Terra é muito grande para sua massa, e deve ser arremessada para fora de sua órbita, ou a de Júpiter é muito baixa, e deve ser atraída para o Sol.

Note que dou a massa de Júpiter como 317 vezes a da Terra, de modo a não diferir da sua estimativa que é baseada na Força de Atração do Sol contra a Força Centrífuga. Esse número, no entanto, está incorreto.

Você pode levantar a objeção de que Júpiter, com sua grande massa, gira em uma órbita externa de acordo com a Teoria de que esferas da Grande Massa são ditas estar mais sujeitas à ação de Centrífuga Fforce. Contra isso temos o caso de Marte que é menor que a Terra, mas ainda está mais distante do Sol; ou novamente, os planetas além de Júpiter que são menores do que ele, e ainda giram a uma tremenda distância do Sol. Além disso, sua velocidade em órbita é muito baixa. Então isso também não faz sentido.

Os fenômenos da Natureza são simples e podem ser facilmente explicados. As dificuldades residem na capacidade dos Seres de analisar os fatos, e muitas vezes elaboram sistemas complicados que muitas vezes são bastante ridículos. Houve um que durou algum tempo que sustentou que a Terra era mantida no espaço por elefantes. Se alguém tivesse tido o bom senso de perguntar o que os elefantes estavam fazendo, esta teoria poderia ter tido uma vida mais curta.

Ninguém pode equiparar problemas sem pesar todos os fatores que levam à sua solução. Os cientistas esqueceram, ao lidar com o movimento dos planetas, que a energia deve ter sido usada como resultado da atração solar trabalhando contra as duas forças centrífugas mencionadas. Se nenhuma explicação foi dada quanto à fonte de energia necessária para sustentar o movimento, que neste caso é o que os pés dos elefantes estão em cima, então é porque o problema foi baseado em falsas premissas.

Na Teoria que eu defendo ser a correta, esta força é derivada da diferença de potencial energético que a luz solar se estabelece iluminando uma face do Planeta enquanto deixa a outra na escuridão. Um corpo que é equilibrado entre duas forças opostas (atração e repulsa) não tem peso e se move como uma pedra girada na extremidade de uma corda, o raio de sua órbita sendo representado pela corda. Todos os fenômenos mecânicos do Universo são explicáveis.

Q: Há uma grande dificuldade que você parece esquecer. Se há alguma lógica em sua Teoria de que planetas podem ser mantidos entre a atração do Centro Magnético do nosso Sistema e a Repulsão pela Luz do Sol, como sua Teoria pode ser aplicada aos satélites? Por exemplo, como você pode conciliar esses fatores com o problema dos movimentos da Lua?

Pela verdadeira Teoria da Força Centrífuga, que é o que ainda não expliquei. Antes de mostrar a solução, gostaria de apontar as dificuldades na teoria que o povo da Terra elaborou.

A Lua não descreve uma órbita verdadeiramente circular ao redor da Terra. Às vezes ele se aproxima e outras vezes se afasta. A distância entre o Planeta e o Satélite pode variar até 26.000 milhas. Se a Lua fosse mantida pela ação da Gravidade contra a Força Centrífuga, sua órbita deveria ser perfeitamente circular e houvesse um equilíbrio dessas duas forças, a Lua seria incapaz de alterar sua distância da Terra, a menos que houvesse alguma inconsistência nas leis da gravitação, o que seria inadmissível. Isso não leva em consideração o fato de que quando ele se move em órbita próxima, o equilíbrio fica chateado e o satélite deve ser atraído para a Terra. O primeiro satélite de Marte representa um fenômeno curioso que nega completamente sua concepção da verdade; enquanto Marte completa sua rotação axial em 24 horas e 37 minutos, seu satélite completa três revoluções ao redor do Planeta, levando 7 horas e 39 minutos por revolução.

Estamos, assim, de volta ao ponto de partida, imaginando o que fornece a força que permite ao Satélite desobedecer à força gravitacional do Planeta e completar três revoluções em vez de uma.

Ainda mais curioso é o comportamento do nono, décimo e décimo primeiro satélites de Júpiter, que desafiam totalmente as Leis da Gravitação como você supõe que sejam.

Júpiter e seus satélites se movem no sentido anti-horário, enquanto os três satélites acima se movem na direção oposta.

Vou agora mostrar por que a Lua é mantida no espaço sem colidir com o Planeta; é porque está dentro da periferia do envelope etérrico que circunda a Terra. Há uma atração magnética entre os dois corpos, os polos da Terra agindo sobre os polos da Lua e vice-versa. Enquanto há atração entre seus Campos Magnéticos, os dois corpos são repelidos pela Luz Solar.

Q: Como?

A: A luz solar é refletida da Lua à Terra e da Terra à Lua. A ação reflexiva combinada dos dois corpos fornece a força repulsiva necessária para superar a atração magnética. O resultado é que o Satélite se mantém em órbita. Quando o reflexo da luz solar entre os dois corpos é maior, a pressão aumenta e a Lua se afasta da Terra; quando, no entanto, a Lua está diminuindo o reflexo da luz é menor, o que proporcionalmente diminui a força da repulsa e a atração magnética aumenta para que o satélite se aproxime da Terra.

Essa variação faz com que a Lua descreva uma elipse perfeita ao redor da Terra.

É errado supor que as marés são causadas pela atração da Lua. O que acontece é exatamente o oposto; isso pode ser provado por observação. A luz solar refletida da Lua exerce uma pressão sobre a massa líquida do oceano. Sendo comprimido em um ponto, este líquido é levantado em outro. Esta é a explicação do retardo das marés causadas pela Lua…

Q: Sabendo de todas essas coisas, como você começa a viajar pelo espaço, ou melhor ainda, como devemos fazer isso se devemos tentar fazê-lo?

A: Eu expliquei a vocês como a atmosfera pode ser ionizada por Raios Cathode. A “bolha” ionizada é absorvida pela atmosfera criando um vácuo em sua traseira em que o Pires é desenhado, subindo assim. Agora, a Terra desenvolve uma velocidade de superfície de 1.040 m.p.h., mas ninguém sente que se move. Isso significa dizer que se continuarmos a subir em relação a um ponto na superfície da Terra deveríamos estar aumentando nossa velocidade, mas não teríamos nenhuma sensação de aceleração. Ao atingir uma altura de 250.000 milhas da superfície da Terra devemos, sem qualquer outro esforço que não o de ir para cima, atingir uma velocidade de 66.000 m.p.h., que é igual à velocidade da revolução do Planeta no Espaço. Não vemos nem sentimos a velocidade que alcançamos, pois não temos nenhum ponto de referência; mas se houvesse um observador estacionário fora do envelope etérrico, no qual não temos nenhuma sensação de velocidade, ele nos veria se movendo a uma velocidade angular fantástica.

Tendo atingido essa velocidade, tentaríamos escapar da cobertura etérica, caindo no vácuo. Devido à tendência de mover corpos para se mover em linha reta, deixaríamos o envelope etérico em um ponto em que o Pires, seguindo uma linha reta, chegaria ao Planeta que queríamos chegar. O procedimento seria, é claro, diferente se estivéssemos usando o “Fluido Elétrico” do Planeta como nosso meio de propulsão.

Para explicar um princípio para você, tive que omitir outro. Eu disse “uma linha reta” para simplificar o raciocínio, mas temos, de fato, para levar em consideração a ação desviativa que as Forças de Atração e Repulsão teriam sobre nós. Seguiríamos, no entanto, um curso retilinear porque temos meios de compensar essas diferenças. Se criarmos um campo magnético com os solenoides poderosos à nossa disposição, devemos ser atraídos, e se desligarmos o campo, devemos ser repelidos. É por isso que é necessário compreender plenamente as Leis da Natureza, caso contrário não alcançaríamos nenhum Planeta.

Também por uma questão de simplicidade eu disse que deixamos a Terra a uma velocidade de 66.ooo m.p.h. Na prática, a velocidade mínima de fuga que usamos é de 125.000 m.p.h., dos quais 66.000 são fornecidos pela Terra e a diferença pela velocidade desenvolvida pelo Pires dentro da atmosfera. Às vezes usamos velocidades ainda mais altas que para você pareceria incrível. A natureza tem recursos que o povo da Terra não sonhou.

Usando uma velocidade de 66.000 m.p.h. com a qual a Terra nos fornece gratis, seria possível que as pessoas tentassem uma viagem pelo Espaço e alcançassem outros planetas, mas haveria certos perigos devido à perda de energia através da Repulsão Solar. Deve-se notar que nos movemos em ângulos retos para a direção da Repulsão Solar. Se fôssemos para a mesma direção, deveríamos ser impelidos por ela, e se fôssemos para uma direção oposta, deveríamos ser repelidos por ela, nesse caso sofreríamos uma perda de energia cinética. Portanto, é necessária uma velocidade mais elevada, pois as leis da inércia são válidas até certo ponto.

Um piloto que está acostumado a fazer esses voos poderia fazê-lo usando esta baixa velocidade, mas levaria muito tempo.

Com uma alta velocidade de fuga, só precisamos de outras fontes de energia em pequenas quantidades para uso dentro do Disco.

Podemos desconectar completamente os tubos Crookes e Geissler que provocam a perturbação atmosférica porque não precisamos deles. De vez em quando eles são usados para desviar meteoritos com quem nos encontramos a caminho. Geralmente os conectamos quando meteoritos errantes aparecem nas telas do nosso aparelho de detecção.

A uma certa altura acima da atmosfera terrestre, um corpo começa a girar violentamente. Este fato foi observado por você inúmeras vezes, e são esses mesmos fatores que fazem a Terra girar. Sob baixa pressão atmosférica, um corpo iluminado em um rosto, com o outro na escuridão, tende a girar sobre si mesmo em um eixo imaginário. Este é um grave perigo para os inexperientes para a mesma coisa acontece no Espaço. Para corrigir isso, aquecemos essa parte da nave que está longe do Sol, e isso mantém nosso equilíbrio.

A principal técnica na navegação astro-está no estabelecimento do contato com a cobertura etérica do Planeta que desejamos alcançar. Devemos sempre nos aproximar do Planeta na direção de sua rotação. Se fôssemos abordá-lo contra sua rotação, nossa nave seria quebrada em pedaços. Por esta razão nos aproximamos da massa etérica em uma tangente, seguindo a direção de seu movimento. Dois corpos que viajam na mesma direção não têm velocidade relativa; é como se ambos estivessem parados. Então o contato entre eles não gera nenhum atrito.

Devo acrescentar também que temos meios de parar e iniciar o Pires no Espaço e, naturalmente, de aumentar ou diminuir sua velocidade. Se estivéssemos viajando a 175.000 m.p.h. seria perigoso fazer contato com a cobertura etérica de um Planeta com baixa velocidade de rotação, mesmo que isso ocorresse na direção de seu movimento. Nesses casos, reduzimos a velocidade até que estejamos nos movendo na mesma velocidade que a cobertura etérrica.

Este é um lugar conveniente para explicar-lhe o fenômeno dos meteoritos que chegam aos Planetas. Se eles alcançarem o envelope etérico contra a direção da rotação do Planeta, eles são quebrados em pedaços, mas se eles entram nele seguindo a direção de rotação eles às vezes conseguem alcançar a superfície do Planeta. Isso, no entanto, depende da velocidade com que chegam ao Planeta.

Se formos da Terra para Júpiter, geralmente usamos Marte ou Vênus como postos de encenação, dependendo das posições dos Planetas na época.

No seu caso, como você não teria nenhum meio confiável de corrigir sua velocidade no espaço, você deve, se você fosse empreender uma viagem a Júpiter, proceder da seguinte forma:

A Terra se move em órbita a 66.000 m.p.h., Marte a 54.000 m.p.h. e Júpiter a 29.000 m.p.h. A solução seria usar Marte como um posto de preparação, e atingir uma velocidade idêntica à rotação deste Planeta, ou seja, 54.000 m.p.h. Uma diferença de 25.000 m.p.h. entre sua velocidade e a do Éter do Planeta não produzirá um atrito muito grande. Para evitar acidentes, os tubos Geissler devem ser ligados no momento do contato, a fim de evitar o máximo de atrito possível. Com a velocidade fornecida por Marte, a viagem poderia ser continuada para Júpiter, mas a viagem levaria muito tempo.

Nenhum pouso deve ser feito em Júpiter, mas nos satélites. O pequeno envelope etérico torna o contato muito perigoso, a menos que a nave tenha seus próprios meios de desaceleração no espaço. Você deve mirar por preferência para Ganimedes, que tem um grande envelope etérico e atmosfera movendo-se em alta velocidade. Io também pode ser recomendado. Seria errado para você passar via Vênus, já que este Planeta tem uma velocidade de 77.000 m.p.h. e a diferença entre esta velocidade e a de Júpiter seria muito grande.

Q: O que aconteceria se parássemos a nave? Por exemplo, se nos aproximamos de um Planeta com apenas aceleração vertical e sem aceleração horizontal?

A: Você só faria isso uma vez, não haveria segunda vez. Você seria totalmente destruído. O choque seria de intensidade incomparável. Seria como se você estivesse em uma linha férrea e um trem bateu em você em alta velocidade. Sabemos porque muitos de nós cometemos esse erro e morreram. Também foi difícil para nós aprender os Segredos do Espaço. Você não terá essas dificuldades se você realizar uma viagem espacial um dia, porque teremos lhe dito os perigos que podem dar os passos do viajante mais corajoso.

Você só tem que nos ouvir e dizer aos especialistas da Terra que é mais sábio para um indivíduo lucrar com a experiência dos outros do que alcançar o mesmo resultado ao preço de sua própria vida. Estamos cientes de que você ameaça dominar e até nos destruir, mas não queremos trazer sua ruína dessa forma. Pelo contrário, lamentamos ver o Povo da Terra falhar, pois lamentamos muitas das coisas que eles fazem.

Preferimos vê-los como Cavaleiros do Espaço, segurando as rédeas de uma carruagem ardente, ou como marinheiros intrépidos lutando contra os mares turbulentos do Cosmos.

Talvez os homens então passassem a entender a grandeza das obras de Deus que distribuíam riquezas abundantemente em todos os cantos do Universo, e ver que não há necessidade de lutar por terra e Lebensraum. Lutar por essas coisas mostra uma ignorância da grandeza do Universo; O homem se comporta como um peru mantido dentro de um círculo imaginário, sem a inteligência para ver que ele precisa apenas dar um único passo para a liberdade.

Talvez os homens também deixem de destruir uns aos outros na guerra por causa de alguns poços de petróleo miseráveis que não são mais importantes do que buracos no solo. Se eles precisam de energia, o Espaço envia-o para eles de todas as direções por meio de Raios Cósmicos. É como se estivessem morrendo de sede enquanto navegavam pela Amazônia.

Eles só têm que abaixar um balde na água e preenchê-lo quantas vezes quiserem.

Se eles parassem de fazer guerra, e vivessem como seres racionais, mostraríamos a eles como aproveitar a energia, seja energia atômica, solar, magnética ou cósmica. Se eles aprenderem a ser amantes da paz e misericordiosos, os Irmãos Anciãos do Sistema Solar mostrarão a eles como transformar esta Terra em um Jardim do Éden.

Não acredite que Deus fez o mundo mal, pois é seu desejo que todos sejam felizes. O sofrimento de ninguém lhe traz alguma satisfação. Dor, sofrimento físico ou mental e dificuldades em geral não ajudam ninguém, mas apenas mostram o quão degradados seus sentimentos se tornaram agora. Se alguma coisa produz sofrimento, é ressentimento e blasfêmia contra Aquele que continuamente derrama bênçãos sobre nós.

Todos são responsáveis pela miséria e opressão em que ele se encontra Se o homem muda seu coração e faz a sua mente ser Misericordioso e Bom, ele terá ao mesmo tempo inúmeros Irmãos ao seu lado para ajudá-lo, sem mencionar a ajuda e alegria de on High. Tenha certeza de que o Pai está mais pronto para dar do que o Filho está para pedir.

Se um dia você contar aos outros o que eu lhe disse, dizer-lhes que eu, pessoalmente, em nome dos habitantes do meu Planeta, asseguro-lhes que se um dia qualquer país do mundo decidir abandonar a destruição, eu virei, junto com milhares de outros, para lhes dar ajuda material e apoio moral.

Mesmo que isso acontecesse a um homem em vez de um país, ainda chegaríamos a este homem, e nem um fio de cabelo em sua cabeça pereceria. Não dependemos de nossas forças. sozinho, mas sobre o poder primordial do Universo, que sempre apoia os esforços dos seres que seguem o Caminho Certo.

No momento, as Grandes Potências da Terra estão se preparando para fazer guerra. Em alguns anos, suas espadas serão desenhadas, fazendo um Holocausto em honra de seu Moloch, e uma série de vítimas cairão no interesse próprio de alguns Potentes que não param por nada para ganhar seus objetivos, mesmo ao custo de muitos vivos.

A cegueira humana é deplorável. Os homens pregam a paz, mas destroem a Terra; eles falam de Amor e perpetrar ações de ódio; eles acreditam em Progresso, mas desconsideram sentimentos mais finos, tornando-se piores do que as bestas.

Estamos observando a carnificina na Terra há algum tempo e esperávamos que o Homem pudesse um dia entender o trabalho de Deus e se arrepender. Esperamos que essa transformação viesse, mas em vão. Por mais infrutíferos que sejam nossos esforços, viemos nos apresentar e oferecer ajuda. Nisso estamos obedecendo a uma ordem, e nossos corações estão felizes em poder estender uma mão amiga aos outros.

Deve estar se perguntando por que estou revelando todo nosso conhecimento sem restrições. É porque gostaríamos de compartilhar o que temos com aqueles que não têm. É como dar remédio a uma criança, se a pílula é amarga nós a cobrimos com açúcar. Enquanto explicamos os pontos científicos, estamos ao mesmo tempo fazendo um apelo desesperado para que se unam na grande Doutrina Cristã da Irmandade e renunciem às guerras para sempre.

É uma indicação de que estamos prontos para ajudá-lo com todos os nossos recursos, pedindo nada em troca, exceto o direito de chamar uns aos outros de Amigos. Não estamos interessados em suas matérias-primas, porque podemos obtê-las à vontade por transmutação. Gostaríamos de ver sua Terra e pousar em suas cidades, viver junto com o Povo e desfrutar de sua companhia. Se estivéssemos com muita pressa para descer, o receberíamos com um mergulho amigável da asa.

Você viria até nós e seria capaz de viver em nosso mundo, fazendo uso de tudo o que temos, porque em nossa Sociedade, todos os bens são mantidos em Comum. Entre nós, a única moeda é a Irmandade. Não negociamos com os dons que Deus nos deu, mas nos colocamos na posição de poder entregá-los.


ESFORÇOS DESPERDIÇADOS DO HOMEM

Q: Você pode, por favor, nos dizer o que você pensa de nós, e nos dar alguma ideia de nossos pontos fracos. Em um jogo de cartas é mais fácil para um espectador ver o que deve ser jogado do que é para os jogadores. Suas opiniões seriam obviamente imparcial. Em que direção devemos progredir para alcançar a felicidade?

A: Você quer ser feliz, e pensar que o progresso material é a palavra mágica que faz a água brotar de uma rocha. Nem posses mundanas nem conhecimento podem garantir a felicidade de um homem. O conhecimento não é um atributo dos animais e ainda assim eles são felizes como Deus os fez. O selvagem em seu habitat vive pacificamente apesar de sua pobreza e ignorância. Ele provavelmente não trocaria seus desconfortos e falta de conhecimento por toda a erudição do Cientista participando de discussões científicas.

A verdadeira felicidade humana deve repousa na compreensão de que é a vontade de Deus que o destino do Homem seja glorioso, em obediência com as Leis do Criador e apaixonado por seus semelhantes. De que adiantam todas as suas posses e todo o seu conhecimento, seu domínio sobre as forças da Natureza, se ele não tem domínio sobre seu próprio coração?

Muitos cientistas se colocaram acima do mundo, e em sua arrogância sentiram-se superiores a outros homens. Mas eles morreram, e suas teorias foram posteriormente refutadas. Eles são lembrados como indivíduos que pensavam que sabiam de tudo, mas foram enganados e nem sequer se conheciam.

Outros se tornaram famosos apesar da posse de bens mundanas, mas a morte destruiu seu domínio e no último momento eles se sentiram mais infelizes do que qualquer um quando viram que tinham vivido em ilusão. Ninguém morre feliz com a ciência e o dinheiro sozinho.

No entanto, aqueles que mostraram sua sabedoria através do Amor ainda vivem no coração dos homens.

Morreram felizes por terem vivido felizes. Maria de Nazaré, Florença Rouxinol, João Batista, ainda vivem como verdadeiros indivíduos, a Luz de seu Amor iluminando a vida de muitos. Sem dúvida, São Francisco de Assis vivia em um nível tão alto que os cientistas que projetaram a Bomba Atômica não podiam sequer esperar tocar a sola de seus pés. E ainda assim ele não era um homem erudito.

Há homens de grandes riquezas na Terra, mas eles não podiam impedir que seus Filhos se tornassem ladrões ou assassinos. As riquezas trouxeram felicidade nesses casos? Um homem rico pode enviar seu filho para a Universidade para voltar alguns anos depois com seus diplomas, mas um diploma pode fazer uma pessoa boa? Advogados também podem ser ladrões, e médicos assassinos, e padres imorais?

Eu mantenho que um pai faminto com um filho virtuoso seria mais feliz do que um pai rico com um filho ladrão ou assassino.

P: Eu percebo que a Justiça é superior a tudo, mas gostaria de saber, do nosso ponto de vista material, excluindo quaisquer considerações éticas, quais são os principais erros em nossos métodos e como eles podem afetar negativamente nosso futuro.

A: Ninguém pode se divorciar do progresso de seu aspecto moral. Mas já que você deseja saber dos Efeitos, e não da Causa, vou delineá-los para você:

A grande falha da humanidade é nunca poder andar sem os olhos colados à estrada que já percorreu; tornou-se, assim, um pilar de sal como a esposa de Lot. O homem é basicamente conservador e prefere viver na memória de tempos que nunca podem voltar ao invés de na esperança de um futuro radiante. Ele teme o dia que vem em vez de ajudar o futuro e se preparar para o seu caminho. Ele gasta uma enorme quantidade de energia em coisas que não podem ajudá-lo, e desperdiça tempo precioso em coisas fúteis; por exemplo, ele desperdiça dinheiro, o tempo dos professores e dos alunos, mantém edifícios, usa o poder cerebral, tudo para ensinar línguas mortas que deveriam ter sido enterradas há muito tempo.

Papel, tinta, livros, giz e mil outras coisas que poderiam ser melhor utilizadas são usadas no ensino de coisas inúteis. Em vez de uma língua morta, por que não ensinar o funcionamento da Fotossíntese. Valeria mais a pena saber o significado de Potencial Gradient, ou as funções do corpo, em vez da desclensão de uma língua antiga. Em vez de olhar para um futuro promissor, eles preferem viver entre as Múmias da História, e tentar ressuscitar o Passado.

Há uma infinidade de coisas que as crianças nunca ouvem falar, e que talvez nunca venham ouvir falar. Em vez de ensinar recitação, seria melhor mostrar-lhes como cultivar cebola e aipo, ou ensiná-los que o trigo, além de fornecer boa comida, também pode ser usado para fazer óleo vegetal, viscose, xilose, ácido acético, sabão, álcool, celulose, xarope, têxteis, combustível, etc., e que os talos e folhas dos quais todas essas coisas são feitas nunca devem ser enterrados porque são inadequados como fertilizantes e são portadores de doenças de cultura.

Ensine-lhes sim o significado do potencial hidrogênio do solo, como corrigir a acidez, o que o solo requer no caminho do nitrogênio, césio, cobalto, enxofre, manganês e fósforo. Mostre-lhes que os hormônios vegetais podem produzir folhas de repolho a 3 metros de altura, e maçãs pesando vários quilos.

As crianças podem esquecer os nomes daqueles que trouxeram devastação para a Humanidade, mas nunca devem esquecer que é possível transformar a Luz do Sol, praticamente sem perdas, em energia utilizável, passando-a através de um Gás de Carvão que se une com água para formar formaldeído; e que o Aldeído oxidado pode transformar a luz solar em corrente elétrica.

Há muito mais beleza a ser encontrada no ponto de saturação de uma solução do que há na História da Destruição de Cartago.

Milhões de indivíduos morrem de câncer, enquanto as escolas ensinam às crianças as cores das bandeiras nacionais, ofendendo o instinto gregário inato do Homem que intuitivamente abomina as barreiras artificiais que o poder econômico ergueu no Mundo.

Em vez de habitar sobre a palavra “China”, eles devem aprender mais sobre Césio; em vez de França, Brasil, EUA, EUA, EUA deveriam aprender mais sobre as funções de Nitrogênio, Fósforo, Enxofre e Ferro, ensinando-lhes que esses Elementos, entre outros, produzem proteínas, e que, por sua vez, ligados às moléculas de Césio, compõem os Elementos Anticâneos normalmente contidos no fígado. Diga-lhes que essas mesmas proteínas, quando ligadas a moléculas de Cobalto, combatem a Anemia e são conhecidas como Vitamina B.12.

Em vez de soar elogios ao poder destrutivo de um Invasor mostrar-lhes que o Hidrogênio Pesado é uma das principais causas do Câncer quando ele entra em uma célula, e que Césio tem a capacidade de despojá-lo de um Elétron tornando-o em hidrogênio inócuo comum. Mostre-lhes, estatisticamente, que o câncer geralmente afeta crianças que ainda não atingiram a fertilidade, ou idosos que passaram por ele, que o sexo é, portanto, um mecanismo de defesa do corpo, e que esses hormônios não devem ser desperdiçados pela mera satisfação dos instintos.

Ensine-lhes que, em vez de bebidas, seria preferível tomar um extrato de fígado com enzimas, já que esses elementos fazem com que o câncer recue.

Me surpreende que a Humanidade, não tendo descoberto a cura para a Tuberculose, deveria aprender retórica e dissertação na escola. Essas coisas devem ser passatempos para as pessoas que não têm doenças para se preocupar que tragam miséria para milhões de pessoas. É como se alguém em agonia mortal começasse a estudar o metro de versos alexandrinos.

Mas todos os acima colocados não são tão sérios quanto a principal falha da Humanidade: a dispersão de suas forças em um grau alarmante. Não posso citar as estatísticas exatas para o mundo (na década de 1950), ou mesmo para o seu País, mas podemos fazer uma aproximação.

Há cerca de 50 milhões de pessoas no Brasil. Cerca de 30 milhões delas são crianças jovens demais para participar da vida produtiva do país, outros 10 milhões são mulheres, o que deixa 10 milhões de homens.

Na última figura deve-se incluir os aposentados e improdutivos, mendigos, leprosos, consumíveis, lunáticos, inválidos, cegos, ladrões, prisioneiros e desempregados.

Grande parte do trabalho é relativamente improdutivo, empresas especulativas, como Atacadistas, Varejistas, Publicitários, Agentes Imobiliários, Corretores de Ações, Advogados, Banqueiros. Outros devem ser empregados em grande número na Polícia, Exército, Marinha, Força Aérea, Serviços Diplomáticos e Civis devido ao estado mal organizado e desfuncional do seu mundo.

Isso deixa apenas um milhão de homens produtivos em seu país empregados na agricultura e na indústria. Também teríamos de ter certeza de que essa agricultura é produtiva no verdadeiro sentido da palavra, e que as indústrias são as que o País realmente precisa.

De qualquer forma, mesmo supondo que todos os homens eram produtivos em seu país, ainda teríamos apenas 2 milhões de um total de digamos 50 milhões, ou seja, um homem trabalhando para cada vinte e cinco pessoas, o que é absurdo quando consideramos que esse indivíduo que faz o trabalho para os outros vinte e cinco geralmente o faz sem ajuda mecânica. , pelo suor de sua testa, para que os outros possam manter seu padrão de vida.

Dos milhões ou mais que participam da agricultura, muitos trabalham contra os melhores interesses da sociedade, cultivando tabaco e estimulantes, ou estão engajados na engorda de animais que empobrecem a terra e, posteriormente, envenenam o Homem com sua carne.

Podemos dizer quase o mesmo para aqueles empregados na indústria. Não há nada de errado com as fábricas, suas chaminés são, de certa forma, pulmões se livrando do dióxido de carbono do organismo central.

Mas o homem faz pouco para usá-los adequadamente. Fábricas não são de forma alguma sempre construídas para resolver problemas fundamentais. A grande maioria está engajada na confecção de cosméticos, joias, bugigangas inúteis para mulheres, bolsas intermináveis, chapéus ridículos, novidades, verniz de unha, sapatos que machucam os pés e estragam o carro, meias que não oferecem proteção, charutos para envenenar o corpo, chicletes, bolas de futebol, pistolas e armas esportivas, munições, bebidas alcoólicas e outros estimulantes; no entanto, existem inúmeras coisas úteis e necessárias que poderiam ser produzidas em massa, como material de construção, medicamentos, hormônios vegetais sintéticos, máquinas para produção de energia, fogões eletrônicos, alimentos concentrados para populações aflitas, livros filosóficos e científicos, sapatos plásticos, instrumentos cirúrgicos e ortopédicos, fertilizantes, colheitadeiras mecânicas e semeadores, inseticidas, casas pré-fabricadas, móveis indestrutíveis, instrumentos de prospecção, nitrogênio, planta

Mas vamos deixar de lado todo esse esforço desperdiçado e ver como você faz uso do trabalho desses 2 milhões de homens que estão pelo menos fazendo algo. As estimativas orçamentárias anuais para o seu país devem ser de cerca de 6,5 bilhões de cruzeiros [1952]. Desse montante, cerca de 4,5 bilhões são gastos com as Forças Armadas, e cerca de 1,5 bilhão no Serviço Público, no Judiciário, nos empréstimos estatais, nas despesas governamentais, no Ministério das Relações Exteriores, na máquina eleitoral, nas viagens oficiais, nos banquetes, etc.

O pequeno restante é utilizado para fins benéficos, como educação, saúde pública e agricultura.

Imagine se todo esse dinheiro fosse arado na construção de estradas, escolas, hospitais, igrejas, institutos de pesquisa, saneamento, novas indústrias, esquemas habitacionais, abrigo, medicamentos, transporte, etc. Imagine se esse grande número de pessoas não produtivas fosse desviado para novos empreendimentos produtivos.

Mesmo assim, nem tudo está coberto pelo orçamento federal. E as despesas do Estado? Você já verificou a quantidade de dinheiro gasto em governos locais, serviço público, polícia, etc? Quantos policiais há só no seu estado?

Os gastos com cavalos sozinhos que são mantidos para os desfiles seria um longo caminho para alimentar e abrigar os famintos que caminham pelas ruas no calor e na chuva. É irônico que em uma sociedade em que seu povo possa sofrer de fome e frio, os cavalos devem receber rações equilibradas e cobertas com bons cobertores de lã.

Uma força policial é necessária? Sim, é necessário. É a necessidade de ter um estado policial que Rousseau falou. Mas se for necessário, é só porque os homens tornaram-no indispensável. Se um povo desperdiça sua produtividade em coisas ruins, a miséria resulta de sua irresponsabilidade. Se houvesse abundância, ninguém pensaria em matar ou roubar. Paixões humanas são agitadas pelo dinheiro porque o dinheiro dá origem a argumentos, ao lucro, à voracidade dos financiadores e à crueldade. Se há um roubo, não é, com certas exceções, porque o ladrão gosta do crime, mas porque ele se sente roubado pela sociedade que lhe negou o direito de ter sua própria casa, de ter sua própria casa, de ter a terra sem pagar aluguel, e desfrutar plenamente da liberdade que a Natureza dá instintivamente.

O desperdício de combustível sob o sistema atual é alarmante. Os carros, que poderiam transportar várias pessoas, geralmente são conduzidos por uma pessoa que, na maioria dos casos, é meramente divertida, enquanto a pessoa que está trabalhando não tem meios de transporte. O ávido desejo de lucro e negócios criam uma demanda por gasolina, petróleo, pneus, etc. Se a estrutura da sociedade fosse alterada, o trânsito que agora bloqueia as estradas na hora do rush desapareceria, levando à economia tanto no combustível quanto nos veículos.

O homem poderia trabalhar menos de um ano em toda sua vida, e ainda viver melhor do que o homem mais rico da Terra. Mas para a sociedade humana, até o progresso é perigoso. Se a automação for desenvolvida, os homens morrerão de fome devido ao desemprego. No entanto, mesmo o trabalho manual que os homens fazem hoje poderia ser feito por cérebros eletrônicos obedientes e incansáveis. Esses “robôs” poderiam arar, semear, espalhar inseticidas e fertilizantes, podar e colher. Se eles sentiram uma planta doente, eles seriam capazes de julgar se ela deve ser tratada ou se constituía um perigo para outras plantas e deveria ser arrancada. Esses “robôs” poderiam ser desenvolvidos a um ponto onde eles seriam capazes de dirigir veículos automaticamente sem perigo de colisão ou acidente, eles poderiam pilotar aviões com segurança, informando base sobre quaisquer possíveis defeitos e tomando medidas para repará-los em pleno voo.

Eles poderiam ser usados para medir o metabolismo e agir como médicos fornecendo energia restauradora.

Por menos do que a quantidade de dinheiro que é gasto em fumar todos os anos, você poderia acabar com o câncer; por um décimo do dinheiro gasto em bebidas você pode banir a hanseníase da face da Terra, e a tuberculose não seria mais um assunto para estatísticas.

O controle da atmosfera poderia regular o clima evitando catástrofes naturais e salvando culturas.

Células elétricas poderiam ser colocadas nas ruas para absorver todos os ruídos irritantes.

A educação pode ser mudada. Naturalmente, qualquer mudança radical envolveria a demissão de professores que, na situação atual do mundo, significariam que sofreriam sérias privações.

Hoje, a maioria das pessoas passa a melhor parte de suas vidas, desde os sete anos até os trinta anos, debruçando-se sobre livros, e no final disso, eles ficam desgostosos ao descobrir que não aprenderam nada, e ainda têm um longo caminho a percorrer. Uma vida é curta demais para aprender tudo.

No entanto, usando hipnose em um espírito verdadeiramente científico, todo o escopo da educação poderia ser alterado. Em poucas horas uma criança poderia dominar um assunto inteiro que atualmente leva a maior parte de sua juventude para dominar. Além disso, ele faria isso com grande precisão. Bastaria colocar uma criança em um sono hipnótico controlado, com a ajuda de uma droga como canabissativa, ou uma combinação de clorofórmio e morfia, administrada em intervalos com um psicólogo à mão para ditar todo o material a ser aprendido. Isso poderia ser realizado em grande escala com milhares de alunos ao mesmo tempo, fazendo uso de fones de ouvido. Seria mais fácil, mais conveniente e mais barato, e não aborreceria uma criança com longas palestras, não estaria sujeita às deficiências dos professores, e outras desvantagens do sistema atual. Os alunos podiam ir para a faculdade cedo, dormir e voltar com um diploma científico nos bolsos. Você acha que é muito pouco tempo para aprender tanto? Certamente um professor não seria capaz de ditar o suficiente nesse tempo. O espírito não presta atenção aos conceitos de tempo e espaço, uma eternidade pode ser condensada em um segundo, ou uma segunda pode ser transformada em uma eternidade. Pode-se criar o sistema de transmissão rápida. Ondas de pensamento humano funcionam em uma faixa de cerca de 5 mm de comprimento de onda. Se mensagens elétricas fossem enviadas dentro desta banda em sucessivas ondas, todo o conhecimento humano poderia ser transmitido em muito pouco tempo.

O mesmo método poderia ser usado para acabar com tendências atávicas e tendências criminosas. No sono hipnótico, a mente se torna receptiva e pronta para aprender e lucrar com o ensino sólido. Pode-se ir mais longe e quebrar a barreira entre o consciente e o subconsciente. No entanto, isso exigiria uma técnica considerável que só poderia ser dominada no tempo, pois há o risco de o conceito de tempo desaparecer completamente da mente.

As prisões poderiam ser esvaziadas, em primeiro lugar, excluindo tendências criminosas da mente humana para que não mais malfeitores se firmem, e no segundo porque aqueles com tendências criminosas já seriam reeducados. pelo processo hipnótico e reintegrado à sociedade.

Com seu quadro alterado, a sociedade superaria os preconceitos morais que acoriam seus passos. O homem superaria a morte e a velhice não existiria mais na Terra.

P: Como superamos a morte?

R: Para superar a morte, é preciso conhecer os fundamentos da vida. É o espírito que dá vida ao corpo, e está ligado magneticamente ao corpo.

A corrente que flui através de um solenoide dá origem a um campo magnético que puxa o núcleo de ferro para dentro da bobina. Qualquer campo deve ter um centro para atuar como um veículo para as linhas de força que ele gera. Uma vez que tenha atraído o ferro, o solenoide pode ser virado em qualquer direção sem que o núcleo caia. Nenhuma ligação visível está segurando-o, apenas linhas de força, vários milhares para a polegada quadrada, que não são visíveis a olho nu. A relação entre espírito e corpo é semelhante à entre o solenoide e o núcleo de ferro. O corpo corresponde ao solenoide e sua corrente pode ser medida com um Encefalograma; o espírito representa o núcleo de ferro.

Se o campo magnético feito pelo corpo for interrompido, ou suas linhas de força quebradas, ou se a corrente elétrica que o alimenta parar de fluir, então o espírito será libertado. Isto é a morte.

No entanto, se a lesão que deu origem à interrupção pudesse ser curada por aparelhos adequados, o campo seria restaurado, e o espírito, se o chamássemos de volta, retornaria e se uniria com a matéria, caindo novamente no campo magnético restaurado. Para isso, seria usado ectoplasma humano ou vegetal que curaria a parte ferida.

A morte é, portanto, um defeito que pode ser superado. Não quero dizer que o homem poderia viver eternamente, mas ele poderia chegar até a fazer Methuselah invejoso. Ele não viveu mais porque o Dilúvio o engoliu, mas se a humanidade fosse boa, as forças da Natureza, em vez de destruir o homem continuariam a preservar sua vida.

Eu lhe disse o que penso do ponto de vista material, mas eu poderia dizer muito mais do ponto de vista espiritual, explorando caminhos que a ciência, até o presente, nem sequer sonhou. Você mostrou uma preferência pelo ponto de vista material. Você conseguiu o que pediu.


O Perigo Atômico

P: Por favor, me diga por que você acha que nosso uso da Energia Atômica é perigoso?

A: Não digo que o uso da Energia Atômica seja um perigo para a Humanidade. O que eu digo é que o ódio agressivo juntamente com a Energia Atômica destruirá a Terra.

Há dois lados em cada imagem. Depende de qual você escolher.

A energia elétrica é útil para o Homem, à medida que transforma motores, opera fábricas, produz luz abundante, e de fato fornece, todos os requisitos de vida útil do modem. No entanto, também é usado m cadeiras elétricas para tirar a vida de outro.

A dinamite também pode ser colocada em usos pacíficos, quebrando rochas, minerando, fazendo canais, etc.; mas também é usado em armas de guerra.

A aviação representa um passo à frente no caminho para a paz, e a irmandade do homem, mas é usada para chover destruição nas cidades, trazendo a morte para muitas casas, órfãs milhares de crianças inocentes que não sabem nada dos interesses comerciais dos poderosos da Terra.

Na história de Croesus, tudo o que ele tocou foi transformado em ouro; a humanidade é um Croesus ao contrário. Se ele toca o ouro puro que Deus lhe oferece, ele o transforma em sujeira que polui o mundo.

A energia atômica é um dom de Deus, quando usada com moderação e para fins pacíficos. Seu uso devasso e sua aplicação à guerra podem significar a completa e absoluta extinção da vida como a conhecemos hoje neste Planeta.

O último capítulo da Energia Atômica ainda não foi escrito nem na Terra nem em nenhuma outra parte do Universo. Não pode, de fato, ser escrito por ninguém porque não tem fim. Vocês ainda são iniciantes neste vasto assunto. Em breve você usará hidrogênio, fusão nuclear, e então Raios Gama, como meio de destruição. Se você não destruir o Globo com bombas de hidrogênio, você vai fazê-lo por outros meios mais poderosos. Um dia o fim virá. Se nada mais, quando você descobrir os efeitos magnéticos dos Planetas, você vai destruir tudo. Coloque um macaco em um laboratório e veja o que acontece.

O Povo da Terra tem duas estradas pela frente: vida ou morte. Que eles façam uma escolha sábia!

Q: Você quer dizer que a energia atômica é boa, exceto quando usada para fins bélicos? Nesse caso, seu efeito só pode ser prejudicial do ponto de vista moral, mas não inerentemente prejudicial.

A: Eu quis dizer os dois. O aspecto moral é óbvio, mas eu implícito o aspecto material também.

P: Qual é o seu efeito sobre a ordem material das coisas?

A: Em pouco tempo você terá bombas de hidrogênio de poder devastador. Lembre-se que eu te disse que nas regiões superiores da atmosfera ocorrem reações fisioquímicas que impedem a penetração de raios do Sol. Essas camadas não só filtram a radioatividade, mas também mantêm a Terra no espaço.

Deve-se admirar muitas vezes os atos de generosidade do homem, quando ele se torna bom e é dotado de inteligência. Outras vezes ele se mostra um tolo. Se um ligeiro aumento da atividade solar perturba a vida na Terra, mudando os seres humanos, ondas hertzianas, clima, etc., quanto mais dano pode ser feito por um aumento da radioatividade injetada diretamente no coração da Terra por bombas de hidrogênio?

Perturbações solares são periódicas e seus efeitos logo desaparecem porque são o resultado de ondas; mas a radioatividade produzida por bombas de hidrogênio tem um efeito duradouro, porque a poeira atômica permanece em suspensão e leva tempo para cair. Enquanto em suspensão danifica as camadas mais altas; quando cai, envenena tudo.

Um Planeta é um organismo delicado, cujo equilíbrio natural não pode ser perturbado com a impunidade. Esse excesso de radioatividade começa influenciando o cérebro dos homens, perturbando-os visivelmente. Logo você verá a loucura passar sobre a Terra.

O uso de bombas de hidrogênio libertará os Cavaleiros do Apocalipse, que foram designados para aquele dia e hora. Elementos agora desconhecidos aparecerão e envenenarão a vegetação e, consequentemente, homens e animais. Os mares serão envenenados e os peixes morrerão. A água será contaminada em sua fonte, porque cairá de nuvens radioativas. Chuvas de partículas cairão na Terra e as colheitas perecerão.

Além disso, as camadas atmosféricas serão alteradas. Em sua composição depende da estabilidade do Planeta. Eles então deixarão de produzir luz e afetarão a luminosidade do Sol. Eles não serão mais capazes de filtrar as emanações solares e o Sol ficará preto e você experimentará sensações indescritíveis.

Haverá cenas dantescas. Será então que o Povo da Terra descobrirá o quão errada era a Teoria baseada na velocidade fixa da luz a 186.000 milhas por segundo. A Terra estará sujeita à energia na forma de ondas ultravioletas, com velocidades de milhões de milhas por segundo.

Enquanto isso, apesar desta intensa energia solar, não haverá luz, mas apenas um brilho vermelho enferrujado perto do solo. O homem sofrerá de um resfriado terrível, mas sua carne será queimada como com um ferro quente por radiação actínica. Se o homem olhar para o Sol, seus olhos serão destruídos.

As camadas superiores da atmosfera produzem ou previnem terremotos. Uma grande alteração destes faria toda a Terra tremer e suas cidades entrarão em colapso como um pacote de cartas; uma terra trêmula abaixo, e escuridão e calor ardente acima.

Ondas enormes se formarão nos mares, comprimidas violentamente pela energia solar. Os poloneses estarão sujeitos a uma maior pressão solar e derreterão, elevando o nível dos mares para que as pessoas nas cidades marítimas sejam atingidas pelo terror. O rugido das águas vai tocar um dueto temeroso com o gemido da Terra.

A taxa atual de explosões atômicas já fez com que o calor médio da Terra aumentasse, e continuará a fazê-lo à taxa de 0,3 graus C. a cada ano. Se houvesse uma guerra de hidrogênio, haveria pandemônio.

A radioatividade nas camadas superiores já é suficiente para derreter as calotas polares e inundar cidades baixas.

Em 20 anos haverá uma diferença de 6C. Antes disso, todo o gelo dos poloneses terá derretido.

Doenças estranhas aparecerão. O fígado é um laboratório vivo e ao ser atacado pela ingestão de elementos radioativos espalhados pelo mundo, perderá sua capacidade de produzir os elementos para defesas corporais.

Leucemia destruirá crianças que não atingiram a puberdade, bem como idosos cuja força sexual é gasta. O câncer se espalhará rapidamente. A peste medonho atacará a pele e os olhos e não haverá cura.

As mães amamentando chorarão de tristeza, sabendo que seu leite, que deve nutrir a criança, carrega venenos letais que destruirão seus ossos e trarão leucemia. Muitos, incapazes de suportar tal sofrimento, buscarão a morte, amaldiçoando a vida e aqueles que lançaram tal desespero sobre o Mundo.

Então a humanidade verá o progresso sem Que Deus lhes trouxe maníacos nas ruas, os mutilados por toda parte, hospitais transbordando, cemitérios cheios, despensas vazias, milhões destruídos pela guerra, crianças órfãs, cidades devastadas, campos contaminados, águas envenenadas, multidões aterrorizadas, praga, terror, blasfêmia, luto, desolação. Na Terra, as pessoas em angústia; nos Céus as Leis Cósmicas perturbam.

Você não entenderá que apenas o progresso espiritual ligado a Deus pode ser de algum valor, e levar a Humanidade no caminho para a paz? Você ainda não verá que só o amor pode elevar o Homem para alcançar a eternidade?

Mas isso não é tudo. Enquanto o potencial atômico está sendo preparado em seus arsenais para destruir a Terra a um golpe, mísseis guiados serão melhorados.

Chegará o dia em que os exércitos perderão seu propósito, as Marinhas serão inúteis, e até mesmo a força aérea mais avançada será obsoleta.

Os homens vão se destruir apertando botões. Então o grande perigo ameaçará. Em um momento, como um relâmpago, uma nuvem de fogo poderia aniquilar toda a vida da Terra.

Para um foguete, para ir de um continente para outro, precisa subir a alturas onde só existe hidrogênio puro. Haveria uma bomba de hidrogênio no nariz deste foguete. Agora, nas camadas superiores da atmosfera, as reações atômicas estão sujeitas a diferentes leis. Os campos magnéticos são mais fracos e a bomba mais facilmente acionada. A massa crítica e a distância crítica não são as mesmas. A grande massa de hidrogênio puro nas regiões superiores e toda a Terra seria transformada em um inferno em chamas. Mesmo com uma bomba trabalhando apenas com hidrogênio pesado, o meio homogêneo garantiria a transformação repentina dessas camadas em Hélio. Esse seria o fim. Talvez fosse melhor do que um final lento.

Se isso acontecer, a profecia de São Pedro, escrita no último Capítulo de sua Segunda Carta, seria cumprida: “Mas o dia do Senhor virá como um ladrão à noite, no qual os Céus passarão com um grande barulho e os elementos derreterão com calor fervoroso, a Terra também…. deve ser queimado.

Ninguém saberá quando será esse dia, porque o golpe seria atingido de surpresa, sem declaração formal de hostilidades. Os homens pensarão que estão levando uma vida normal, quando um louco aperta o botão, esfaqueando a Terra e matando seus habitantes. O homem, por ter semeado todos esses anos, a vida sem Deus, em breve colherá uma colheita de párdos, porque os ouvidos da Ciência já estão amadurecendo.

P: Quais são os elementos que trarão alterações no fígado, causando doenças?

R: Os elementos radioativos causarão alterações nas proteínas e estes atacarão o fígado. O carbono radioativo vai alterar o metabolismo. O cobalto, que normalmente ajuda a prevenir a anemia, destruirá, neste estado radioativo, as células sanguíneas. Um isótopo de estrôncio se unirá com cálcio e afetará os ossos. O fósforo, que está concentrado no cérebro, atingirá centros nervosos motores e o iodo radioativo entrará nas principais glândulas do corpo. Alumínio radioativo e magnésio influenciarão as glândulas sexuais. Por causa da destruição de partes do hipotálamo, o homem sofrerá de uma fome terrível, mas não haverá nada para comer; outros terão um desejo sexual incontrolável. Se a atividade da tireoide for prejudicada, ela perturbará o equilíbrio com as glândulas suprarrenais, o que produzirá um excesso de adrenalina ou nenhum.

P: O que a Tireoide tem a ver com as Suprarrenais?

R: No caso de um tigre, cuja existência no estado selvagem depende de sua ferocidade, as Adrenals têm o dobro do tamanho da Tireoide, enquanto no Homem, a Tireoide é grande e a Adrenal pequena. A relação é óbvia.

Q: Tudo isso é uma mera possibilidade, ou é tudo inevitável?

A: Isso é algo que eu não posso responder. Cabe a você na Terra decidir se tudo isso fica no reino das possibilidades, ou se você a transforma em realidade.

O homem tem livre arbítrio. Ninguém pode dizer a ele o que ele deve fazer.

A única coisa que posso dizer é que essas serão as consequências. Não faça como o Aprendiz do Feiticeiro fez, sem saber com o que ele estava brincar.

Os homens estão soltando bombas, sem perceber que seus efeitos nem sempre são imediatos. É como o ponto de saturação em química; pode-se continuar colocando gotas em um líquido sem que nada aconteça; então, de repente, o ponto crítico é alcançado e toda a solução muda. A partir daí, é impossível controlar a reação.

A radioatividade persistente nas camadas superiores da atmosfera produz o mesmo efeito. Ninguém subiu alto o suficiente da Terra para medir e observar o que está acontecendo. Se você pudesse conhecer a luminosidade da Terra antes, vista de fora, e pudesse observá-la agora, você veria uma diferença. A poeira radioativa que permanece na estratosfera já gera medo para o futuro dos homens.

Se os testes de bomba continuarem, um dia a guerra será lançada sobre você, trazendo com ela maior radioatividade. Deixe os cientistas da Terra explodirem bombas por mais 15 anos e você verá o resultado de sua loucura. Será tarde demais. Se alguém pudesse calcular o efeito de duzentos bombas de hidrogênio sobre a camada mais alta da Ionosfera, ele iria querer gritar das copas da casa para acabar com essa loucura.

Infelizmente, meu amigo, a Terra está nas mãos de lunáticos delirantes; eles estão desequilibrados o suficiente para nos acusar de mentir se dissermos a verdade. O mal deve vir, mas ai dele quem o comete. Seu destino está selado. Ele não deve imaginar que ele não será chamado para prestar contas de vidas que ele sacrificou para um interesse ou outro. Todos esperamos um dia de acerto de contas, quando seremos chamados a prestar contas dos presentes que o Criador nos deu.

O Bem não precisa se preocupar, porque Deus saberá como entregá-los na Hora do Perigo. Os Justos não sofrerão pelo Pecador. Isso só acontece uma vez, e aconteceu há muito tempo. Se fosse assim decidido, nós mesmos poderíamos evacuar a Terra e remover os dignos dela. Temos milhares de Discos Voadores, cada um capaz de transportar milhares de pessoas. No entanto, não podemos intervir a menos que isso seja decidido a partir de Alta, quando se diria a quem entregar deste Inferno. Tenha certeza de que o Justo não será abandonado, porque olhos invisíveis vigiam este pequeno Planeta e sabem muito bem quem age sem má intenção.

Pegue sua Bíblia, e leia como Lot foi libertado de Sodoma quando estava prestes a ser destruído, e veja o paralelo. Leia, também, como Enoch e Elias foram levados em uma Carruagem de Fogo. Portanto, não há nenhuma dificuldade em tudo sobre isso, e se fôssemos receber tal ordem, nós a realizaríamos ao máximo.

Além disso, se fosse decidido do Alto que a Terra deveria ser destruída, confiaríamos na sabedoria desta decisão e executaríamos as ordens sem hesitação. Nunca os interrogaríamos. Faríamos o que Abraão fez, quando estivesse pronto para sacrificar seu Filho para fazer a vontade de Deus. Poderíamos, em um segundo, destruir este Planeta e não deixar nada vivo em sua superfície. O Planeta seria sacrificado no piscar de olhos. No entanto, isso só seria feito se a situação tivesse atingido tal ponto de catástrofe total que outros mundos seriam severamente danificados.

Temos os meios e sabemos como usá-los. Se a Terra, após apenas um século de progresso científico, pode desenvolver um poder tão grande e destrutivo, o quanto o nosso deve ser maior; pois numa época em que o povo da Terra nem tinha chegado ao conhecimento de matemática, já estávamos fazendo viagens interplanetárias, com energia cósmica para propulsão.

Q: Mas isso poderia acontecer? Alguém seria capaz de ordenar nossa destruição?

A: Perfeitamente bem. Não é certo que a loucura do homem coloque em risco a estabilidade do sistema planetário e destrua a vida de outros distantes.

A entrada de um novo Sol em nosso sistema será menos perigosa do que a explosão da cobertura de hidrogênio da Terra. Causaria estragos em vários planetas habitados. O desequilíbrio das forças seria fatal para muitos, se acontecesse de repente. Então haveria apenas uma medida preventiva; destruição de toda a matéria viva da Terra. Seria estéril em questão de segundos. No entanto, não estou em posição de tomar decisões de tal magnitude, nem, aliás, é qualquer habitante de qualquer planeta.

Chegou a hora dos cientistas da Terra pararem e pensarem, para o Homem deixar de pensar em si mesmo como o Senhor da Criação e descer do pedestal que sua vaidade o colocou, e perceber que, como ele tem o hábito de oprimir os fracos, o momento poderia muito bem chegar quando alguém mais forte o silenciará.

A conquista de outros planetas e a subjugação de seus habitantes já foram discutidas por aqueles no Poder na Terra. Esta é a altura da impertinência humana. Também seria suicídio. Gostaríamos de chamar a atenção dessas pessoas para o Capítulo de Isaías que diz o seguinte: “Como tu a arte caiu do Céu, Ó Lúcifer, Sol da manhã Para tu disse com teu coração, eu subirei ao céu, eu vou exaltar meu trono acima das Estrelas de Deus. Sentarei também sobre o Monte da Congregação nos lados do Norte. Eu subirei acima das alturas das nuvens, serei como o mais alto. No entanto, você será trazido para o Inferno, para os lados do poço” (Isaías I: 14: xii-xv). Também podemos lembrá-lo do que aconteceu com os Homens de Babel que tentaram alcançar os Céus com sua Torre. Hoje esta Torre ameaça novamente os céus, e é representada pela Ciência Terrena; Esperemos que não haja necessidade de derrubá-lo.

Enquanto os homens travassem suas mesquinhas guerras de conquista, nós toleramos tudo. Nós apenas mantivemos distância, evitando mais contato com aqueles que não conseguiam nos entender. Agora o homem constitui um sério risco para todos, e amanhã pode ser pior.

Eu não sei como tudo isso vai acabar; Eu nem sei se os homens vão consertar seus caminhos, e muito menos se uma Inteligência Superior vai continuar tolerando-os por muito mais tempo, ou resolverá agir. Eu sou um ser de realização muito limitada e não está ao meu alcance dizer o que deve ser o destino das coisas terrenas. Mas é hora do homem parar e pensar. Um pouco de pensamento não custa nada.

Chega dessa loucura. Fora com esses crimes. Sua salvação é nossa salvação, que ele não nos force a um ato de desespero; que ele não nos leve ao mal. Que ele não nos leve à violência que condenamos tão profundamente e que eternamente lamentaríamos. Deixe-o viver e nos permita viver.

Conhecemos seus assuntos melhor do que vocês mesmos, mas eles mesmos. sabemos quando os líderes de guerra se encontram e o que planejam. Estamos presentes em suas reuniões de gabinete; sabemos a hipocrisia com que eles trocam platitudes; lemos seus motivos. Tenha certeza de que agiríamos antes que eles nos colocassem em perigo. Temos ordens para nos defender.

Fizemos todo o possível para mostrar que há poderes superiores aos da Terra; queríamos mostrar aos homens que a posse do Poder não dá rédea à violência e que não temos desejo de tomar o Planeta. Voamos alto, baixo, singly e em formação. Realizamos acrobacias sobre cidades, bases aéreas, fortificações. Eu pessoalmente recebi uma ordem para entrar contra um avião armado que foi precipitado o suficiente para abrir fogo contra minha nave. Mas nada convence os homens na Terra.

Para deixá-lo continuar ao longo da estrada atômica que ele está seguindo, então um dia o Fim certamente deve vir.

Alguém, ou nós, ou o próprio Homem apertaremos um botão para acabar com a história de uma Humanidade que preferiu morrer ao invés de viver feliz de acordo com as Leis de Deus.


VIDA EM OUTROS MUNDOS

Q: Todos os planetas são habitados?

A: Alguns são e outros não. Em nosso Sistema Solar são habitados: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Urano, Netuno e Plutão. Júpiter e Saturno não são habitados, pois não têm atmosfera. Júpiter tem um, mas não podemos considerá-lo como tal, pois não tem praticamente nenhuma profundidade, e Saturno não tem nenhuma. É uma esfera de baixa densidade, quase inteiramente composta de gases pesados, com um pequeno centro sólido. É um mundo em formação. À medida que se solidifica, ele se contrairá, liberando os elementos que eventualmente formarão sua atmosfera. Poderia ele que a entrada de outro Sol em nosso sistema trará um processo de “rachadura”, pelo qual os elementos mais densos serão precipitados.

Júpiter, também, é um novo corpo que recentemente desenvolveu uma atmosfera rarefeana.

No entanto, ainda é inadequado para a vida.

À medida que esses corpos se tornam mais densos, eles se aproximarão do centro gravitacional do nosso sistema, tendo em vista que seus diâmetros diminuem e sua densidade aumenta. Assim, estarão cada vez mais sujeitos à atração e, decrescentes, sujeitos à repulsa. No entanto, muitos dos satélites de Júpiter e Saturno são habitados.

Q: Mas Mercúrio pode suportar a vida, quando está tão perto do Sol?

A: Certamente. Sua grande massa etérica filtra os raios do Sol. Tenha em mente que, enquanto a cobertura etérica da Terra se estende por meros 250.000 milhas, Mercúrio se estende por 390.000 milhas.

Deus ou Natureza, o que você gosta de dizer-cobre corpos para manter fora frio, mas no nosso caso o oposto ocorre, quanto maior o calor, maior a cobertura. Se você calcular a velocidade dos Raios Solares no Espaço como eu mostrei verificando a diferença entre a luminosidade do Sol nascente e o Sol no zênite, com o raio equatorial da Terra como base, você verá que Mercúrio, sujeito a radiação mais intensa, recebeu uma cobertura etérica exatamente grande o suficiente para filtrar esses raios até um ponto onde eles preenchem o espectro visível ao chegar à superfície do Planeta.

Pelo cálculo que fizemos juntos você viu que quanto mais distantes os corpos são do Sol, menos cobertura eles têm, até chegarmos a Saturno, que não tem nenhum. Até lá, o Éter e a atmosfera estão lá para filtrar os raios do Sol. De Saturno para fora, no entanto, os Planetas novamente adquirem uma cobertura etérica em uma escala crescente, não mais com o objetivo de filtrar os raios do Sol, mas para produzir uma reação positiva a eles, de modo a fornecer calor suficiente para manter a vida. Assim, as composições atmosféricas e etéricas desses Planetas não são as mesmas dos planetas deste lado de Saturno.

A quantidade de luz difusa é muito maior do que na Terra. Sua atmosfera, embora rarefedída, é um bom condutor de calor, o que pode parecer absurdo para você.

P: Eu acho difícil ver como um planeta distante pode ter uma atmosfera sensível aos raios do Sol, tendo em vista a pequena fração de luz que eles recebem.

A: Existem muitos tipos de Luz. Sua origem também pode ser química. Certas espécies de vegetação emitem luz sob ação bacteriológica. Os insetos produzem uma luz forte utilizando suas próprias reações enzimáticas internas. Você pode fazer luz fria por descargas elétricas através do gás.

Por que então negar que a Natureza tem outros métodos de dar vida a um Planeta? Coloque uma carga elétrica através de um tubo de hidrogênio e produzirá uma luz azulada; misturar outros gases com o hidrogênio e você obterá outros tipos de luz.

Que demonstração mais espetacular poderia desejar do que aquela que ocorre quando se mistura uma pequena quantidade de cloro com água, e então submete a mistura a um raio de luz. Isso dará origem a uma violenta explosão e emissão de luz e calor.

Se reações semelhantes fossem produzidas dentro da atmosfera dos Planetas, um pequeno raio de luz poderia produzir uma tremenda reação com vastas tempestades magnéticas.

P: Os Seres nestes Planetas têm uma forma material?

A: Do que você espera que eles sejam feitos? Eles não podem ser feitos de Energia porque só o Espírito é Energia.

P: Mas nossa constituição é muito diferente da do Povo de outros planetas?

R: Há diferenças, mas a forma humana é a forma escolhida pela Natureza. O metabolismo de um homem de Plutão não é precisamente o mesmo de um habitante de Mercúrio. No entanto, um pode visitar o outro e permanecer vivo por um longo período. Um peixe vive em um meio denso, mas pode manter-se vivo por um certo tempo respirando ar. Mas a diferença entre as atmosferas de Plutão e Mercúrio não é tão grande quanto a entre o ar e a água, então pode-se permanecer vivo por muito tempo.

Q: Mas a Gravidade não tem efeito?

A: Nenhum. A gravidade é uma ilusão, como os outros que você diverte. Discutimos como a Gravidade é uma combinação de fenômenos, onde um papel importante é desempenhado pela cobertura atmosférica que é responsável por diferenças de densidade. Mas também chegamos à conclusão de que todos os planetas habitados têm uma atmosfera, então a diferença é pequena. Todos têm calor, também, seja por radiação solar ou por reação química.

O principal fator na Gravidade é o componente vertical do Magnetismo, mas a diferença entre um Planeta e outro é insuficiente para evitar o intercâmbio entre pessoas de diferentes planetas.

P: Quanto à aparência, quais são as principais diferenças entre o Povo dos vários Planetas?

A: Não podemos dizer, por exemplo, que o povo de Mercúrio é alto ou baixo. Há todos os tipos, como você tem porcos. No entanto, sua estatura máxima é de 1,80 m. São fortes, escuros, inteligentes, energéticos e ativos, com olhos pequenos, sem barbas, testas baixas, narizes bem feitos. Em Vênus eles alcançam 1,80 m. Eles pertencem a várias raças, predominantemente um tipo justo. Seus corpos são bem feitos, mas eles são os mais parecidos com as pessoas da Terra, tanto na aparência quanto no espírito. Eles são enérgicos, falantes, gentilmente, e acima de tudo, espiritualmente conscientes.

Em Marte há duas raças raiz; um justo e um escuro. A corrida justa é a mais tratável e gentil. A Raça Negra é composta por pessoas com baixa estatura e de uma disposição animada. Eles são os mais gays do Sistema Planetário. Não há vida em Júpiter, apenas em seus satélites. Mas há uma grande variedade de vida nestes Corpos Celestiais. Há todos os tamanhos, de homens de 7 pés.4in. até os seres lilliputianos. Mas todos nós vivemos na mesma família. Os Pequenos São a maioria.

Também não há vida em Saturno. Devido à sua falta de atmosfera, sua superfície será cheia de meteoritos. Dois de seus satélites são habitados. Lá os homens são inteligentes e gentis. Eles têm suas naves espaciais, mas não as usam muito. Para você, esses seres seriam inexplicáveis porque nunca morrem. Eles possuem o que se pode chamar de Corpo da Ressurreição. Eles nunca cometem nenhum pecado, mas são seres materiais. Eles são altos, com grandes olhos magnéticos. Nem mesmo nós podemos entender toda a sua sabedoria, eles são enigmáticos.

Em Urano e Netuno os habitantes são muito semelhantes. São altos e musculosos, bem construídos, com olhos grandes e cabeças muito bem desenvolvidas. Organicamente eles funcionam de uma forma diferente dos habitantes de outros planetas. Eles não se alimentam de substâncias pesadas como nós, mas em líquidos ou gases, e seu sangue é diferente.

O povo da Terra cometeu muitos delitos, e este Planeta é considerado o Centro do Mal, mas seus habitantes ainda estão em sua infância, e no início de sua vida inteligente, com exceção de uma pequena elite que se estabeleceu aqui como professores. Por essa razão, Deus pode ter que punir um pouco da Humanidade, mas com moderação, sem expulsar este Planeta do Sistema Solar. Aqueles que não puderem se ajustar à ordem superior das coisas serão evacuados do Planeta, deixando-o na posse de outros que serão como os habitantes dos satélites de Saturno. Então nosso Sistema Solar voltará ao normal e nos tornaremos como uma grande família, tudo sob a bandeira do Amor.

P: Tanto quanto eu posso colher de suas declarações, a Terra será deixada com uma Humanidade semelhante aos habitantes dos satélites de Saturno. Isso significa que os seres humanos serão mudados?

A: Isso é exatamente o que eu queria transmitir. Os seres humanos foram o mais longe que puderam. Sua inteligência não pode ir além dos sentidos normais.

Você fala em termos de evolução biológica, mas vamos ver se isso é verdade ou não. Deveria haver um desenvolvimento pari-passu entre inteligência e o corpo físico se essa teoria fosse verdadeira. Considerando que a inteligência atingiu um alto estágio de desenvolvimento, o corpo tem sido atacado por doenças estranhas que estão aumentando. Assim, temos uma imagem de desenvolvimento mental acompanhada de atrofia física.

A Raça Humana chegou a um ponto em seu desenvolvimento onde deveria desaparecer. Raças são como homens com sua infância e adolescência, maturidade, velhice e morte. O corpo físico como é não daria inteligência muito mais espaço para o desenvolvimento. A ciência e as técnicas terrenas chegarão a um estágio tão avançado que o cérebro não será mais capaz de lidar com os problemas envolvidos, que podem ter que ser feitos por máquinas. Isso implica que as máquinas inanimadas são superiores ao Espírito? De modo algum. Mas isso requer o aparecimento de uma Nova Raça na Terra, composta por Seres com poder cerebral suficiente para compreender todos os problemas cada vez mais complexos associados ao progresso. Esses corpos teriam a capacidade de dar mais um passo ao longo do Caminho para a Sabedoria.

Como você pode falar de progresso indefinido quando você está vinculado a um corpo de capacidade limitada e de baixa ordem. É errado dizer que a Natureza não progride por saltos repentinos. Seu progresso baseia-se quase inteiramente nisso, como, por exemplo, nas combinações químicas de Carbono e Hidrogênio. O conhecimento é adquirido até que, em um determinado instante, haja uma transformação integral do cérebro e do corpo.

Se alguém adiciona um átomo de hidrogênio a um átomo de Oxigênio, o resultado ainda é um gás, mas se um novo átomo de hidrogênio é adicionado, há uma transformação repentina e eles deixam de ser gases e se transformam em líquidos. A mesma coisa acontece no caso de Carbono e Hidrogênio. CH2 é um Gás, e podemos continuar adicionando a qualquer elemento sem que nada aconteça até chegarmos ao C2H4 quando há uma transformação repentina e o Gás muda radicalmente suas características. Não houve mudança gradual no Gás, mas preservou suas características até que elementos suficientes fossem adicionados para provocar a transformação repentina.

Na vida, o processo é o mesmo. Muitas raças estão enterradas no ciclo de vida de um planeta. A Ciência Terrena, acreditando na Seleção Natural, buscou os elos na Cadeia da Evolução. Ele não os encontrou, e nunca vai encontrá-los, porque eles não existem. Encontra muitas coisas que não são elos, o que prova sua insusistência. É estranho que todas as raças tenham deixado seus traços na Terra, exceto aqueles que constituíram os elos na Cadeia Evolutiva. Por que a Natureza deveria ter jogado tal truque para escondê-los se tudo o que existe é para a iluminação do homem? Isso, portanto, não é o que acontece.

Quando uma Raça não é mais capaz de manter a luta contra o clima e as circunstâncias em constante mudança, então a Raça desaparece como qualquer outro ser vivo. Se um Sol tem sua velhice e desintegração, então por que isso não se aplica também a uma raça?

O que é impossível para o homem é fácil para Deus. Ele pode fazer com que um planeta seja habitado em um momento.

P: Mas como pode um planeta vir a ser habitado se todo o seu Povo pereceu?

A: Deus realiza um Ato de Ressurreição.

Q: Como?

A: Spirit age sobre a matéria e a modela à sua vontade. Em sessões onde tais fenômenos superfísicos são comuns, o Espírito manipula o ectoplasma de um agente passivo e moldes dele um corpo que é visível para os vivos. Seu organismo é real e sua atividade pode ser controlada. Tem todos os órgãos que um indivíduo normal tem. Após a manifestação, o Ectoplasma é geralmente reabsorvido pelo agente passivo, e desaparece. No entanto, só precisaria de um ato de vontade de sua parte para continuar vivendo uma vida própria. Em muitos desses casos de manifestação, cabelos e peças de roupa foram deixados e preservados intactos. Se tais fragmentos podem permanecer existindo, não há razão para que um corpo inteiro não permaneça. Só teria que cortar sua conexão com o agente passivo.

Se Deus ordenasse que uma Nova Raça povoasse a Terra, os Espíritos poderiam manipular o Ectoplasma da própria Terra e criar corpos a partir dela, muito superiores aos da raça atual. Esses novos seres teriam corpos e cérebros fantásticos. Este é o ato da Ressurreição de que falei. Se espíritos comuns de uma ordem inferior podem moldar um corpo de acordo com sua vontade, quão maior então seria o Poder de Deus, se Ele decidir repovoar a Terra?

P: Isso significa dizer que a raça atual surgiu desta forma?

A: Não há dúvida sobre isso. Adam foi de fato moldado a partir da poeira da Terra, isto é, a partir de seu Ectoplasma. A Raça Antiga tinha usado toda a sua energia evolutiva, e tinha que haver uma intervenção dos Poderes Celestiais que criou a Nova Raça. Este evento é muito claramente retratado no caso de Eva. Deus fez com que Adão caísse em um sono profundo, usando-o como fornecedor passivo de Ectoplasma, e o corpo de Eva foi moldado a partir disso. Ela era, de fato, carne da carne de Adão, e o narrador bíblico está correto quando ele afirmou que a mulher foi moldada da costela de Adão.

P: Mas o Ectoplasma não é um subproduto do sistema nervoso? Como pode ser extraído da Terra?

A: Tudo é extraído da Terra. Os vegetais também têm seu ectoplasma e suas raízes o elaboram do solo. Se qualquer poder fosse capaz de formar um novo corpo, certamente atrairia os elementos necessários para ele a partir do solo. Seria um pouco sobre os poderes do Espírito Supremo pensar que Aquele que fez matéria não deveria também ter o poder de fazer ectoplasma.

P: Se houve um desastre atômico, e o Planeta se tornou inabitável, como poderia o Espírito moldar novos corpos que poderiam manter vivos?

R: A vida poderia muito bem ser impossível para o corpo como é agora, mas por outro lado poderia ser ideal para outros corpos. Deus cria tipos de Seres para se adequar ao meio em que são colocados. As minhocas vivem no mesmo mundo que o Homem, mas o solo é o seu meio ideal; peixes vivem na água; o Anfíbio pode viver no ar ou na água; a Águia prefere alturas onde a atmosfera é rarefeana.

Se a vida agora se manifesta de várias formas, você acha que a Natureza percorreu seu repertório e esgotou suas possibilidades na Terra? Um Leão morreria no Ártico, enquanto um urso é muito feliz lá. Se a Terra está coberta de gelo, se ela se torna muito quente, seja radioativa ou não, a Natureza, em todos os casos, criará uma Forma de Vida apropriada. E se a Natureza, com esse maravilhoso poder da Criação, fosse suplementada por um poder espiritual, que maravilhas ela não poderia realizar?

O homem como o conhecemos eventualmente terá que desaparecer da face da Terra, e o Homo Sapiens será substituído pelo Homem Espiritual, desde que ele permita que a Natureza afetue essa transformação silenciosamente por conta própria. Quando o primeiro Homem da atual Raça, que foi a ressurreição de uma raça moribunda, fez sua aparição no Planeta, ainda havia alguns homens da velha Raça que estavam morrendo. Não houve desaparecimento total de seres vivos do Planeta. No entanto, o Homo Sapiens parece estar com pressa para chegar ao fim de sua carreira e privar a Natureza de seu direito de acabar com ele por exaustão. Talvez seja só porque ele está empenhado em autodestruição.


Adeus!

Nos conhecemos na estação Roosevelt, em São Paulo. Para começar, continuamos nossa discussão sobre vários assuntos científicos, e depois falamos sobre Ética e Religião. Então ele me disse: “Agora eu estou indo. Se quiser me ver de novo, me encontre na Avenida Angatuba entre os dias 14 e 17 de novembro de 1956. Se houver algum problema do seu lado, eu vou vê-lo novamente em 1959 se você ainda estiver aqui. Mais uma vez manterei minha palavra.

“Gostaria que vocês sempre se lembrassem de uma coisa, não dêem muita importância a todas as coisas científicas que falamos. A ciência é apenas um meio de nos dar certas instalações, e de nos ensinar a usar as forças da Natureza. Busque essa Ciência que trará felicidade a todos, e acima de tudo procure a Deus porque só Ele tem significado no Universo. O amor é a verdadeira ciência.

“O que deve adiantar ao Homem se ele sabe todas as coisas e todos os segredos do Universo, se ele deve perder sua Alma? A ciência é como uma Lei, só é benéfica quando garante os Direitos do Homem, e quando protege, abriga e o serve. Se ele perde seu caráter protetor e se torna opressivo, então é hora de ser abolido e substituído por outro. Tais leis ruins não podem e não devem ser respeitadas.

É como o sal a que Cristo se referia, se o sal perder seu sabor e sua força, ele deve ser jogado fora. A ciência existe para que o homem possa viver bem e que haja uma abundância de todas as coisas. Mas se esta Ciência, em vez de ser um Dom de Deus, se tornar uma fonte de destruição para a Raça Humana, então ela deve ser deixada de lado.

Um homem pode viver sem ciência, desfrutando de todas as coisas que a Natureza fornece; mas sem espírito de compaixão e respeito pelas vidas dos outros, a vida na Terra seria inexoravelmente destruída. Deus não destrói ninguém, mas o homem com a ajuda da Ciência pode destruir a si mesmo e seus companheiros.

Não busque a salvação de sua Alma através da Ciência. Se isso fosse um meio de progresso espiritual, nesta falsa base, os homens teriam chegado ao Inferno há muito tempo. A posse do conhecimento científico não tem significado. Sem ela muitos poderiam levar uma vida espiritual, mas com ela milhões não encontrarão nada além de aflição. De que uso é o conhecimento que usou um povo inteiro como cobaias, matando milhares, destruindo pessoas inocentes e trazendo tristeza para as cidades japonesas cujos nomes permanecem como marcos no caminho da destruição.

Não vale a pena. Todos nós que viajamos pelo espaço, homens de planetas diferentes, somos movidos quando vemos essas cidades e nunca nos cansamos de dizer que aqui foi onde o primeiro golpe de poder bruto atingiu a Terra e seus habitantes.

Aqui estão os caminhos que levam ao Armagedom. Aqui os cristãos crucificam Jesus novamente e proclamam a supremacia da Besta que deve governar a Terra. É uma pena que os seres humanos tenham conhecimento científico insuficiente para dominar toda a Natureza, e não ser tão pobres como são agora. Uma vez que a ciência é um grande mal para eles, seria melhor viver sem ela, porque então eles pelo menos viveriam.

É preferível viver na ignorância e permitir que outros vivam do que para todos serem afogados como resultado de um pouco de conhecimento.

Eles adoram Cristo em vão e infrutífera homenagem a Ele. A única coisa que Ele deseja é que eles se amem. O homem não deve orar tanto com palavras bonitas; Deus não se emociona com a retórica. Em vez disso, eles devem fazer uma oração constante de suas próprias vidas e seu amor pelo próximo.

Ainda há tempo para salvar o mundo, uma oportunidade é sempre dada a ele que Se arrepende. Não há nenhum criminoso que não possa ser perdoado. Se o crime é grande, o Amor de Deus é ainda maior. Se o homem precisasse de tempo para ser perdoado, Deus poderia fazer uma fração de segundo em uma eternidade. Atos divinos não são subordinados ao tempo e ao espaço. Esta é a razão pela qual alguns criminosos, em um momento de arrependimento, se tornam Santos e Mártires. Por um instante eles se afastaram dos caminhos do mal com todo o poder de seu coração, e por ação divina o arrependimento deste segundo tornou-se permanente.

Se Deus se importa tanto com uma única Alma, Ele não deveria se importar muito mais com a Humanidade? Portanto, preste mais atenção às coisas espirituais e use a ciência como forma de explicá-las.

Eu sei que você vai se recusar a contar aos outros sobre as reuniões que tivemos, mas um dia você terá que fazê-lo por força da circunstância. Não imagine, no entanto, que quando você contar aos outros, eles vão tomar muita atenção. Muitos falaram sem qualquer resultado aparente, e a única recompensa que você deve esperar é algo que ninguém pode tirar, porque ele existe apenas dentro do seu coração. Mas pode haver alguém desconhecido para você a quem seu trabalho será de grande valor.

E agora, adeus! Levarei comigo alguns livros para estudar ciências terrena um pouco mais. Quando eu voltar, farei o meu melhor para trazer algo por escrito sobre nossa Ciência e nossa ética. Até lá, estaremos ligados ao pensamento.

“Supondo que eu não esteja aqui quando você voltar”, eu perguntei a ele.

Talvez fosse melhor se você não estivesse aqui, porque então você estaria em outro lugar onde seria mais fácil para nós fazer contato. Mas não saiam sem dizer aos seus amigos que a vida se estende através das infinidades do espaço de Esfera a Esfera e de Mundo para Mundo, e que além da Morte há esperança e consolo. Diga-lhes que onde quer que haja Espírito, Deus terá preparado um veículo para ele. Na vida, os cisnes são mudos, mas nunca partem sem uma canção.”

Ele me deu a mão dele e se despediu de mim de novo. Eu gostaria de segui-lo até o lugar onde ele estava para embarcar em seu Pires, mas ele me disse: “Por que me seguir? Não venha comigo. Meu Pires é muito perto e não seria agradável para você ver as circunstâncias em que eu sair; você ficaria chateado. Há sempre um momento de separação e antes de eu entrar no Pires você não seria mais capaz de me ver. Que Deus esteja com você.”

Eu o vi desaparecer em uma esquina. Eu tinha um forte desejo de segui-lo a qualquer custo, mas decidi que isso seria desleal para alguém que tinha mostrado tanta simpatia para mim.

Dino Kraspedon