Quatro free shops já abriram no RS, todavia em Santana do Livramento, nenhum!

0
313
Publicidade s-art

Desde que foi aprovada a lei que permite a abertura de free shops nas fronteiras do Brasil onde localizem-se as cidades, que se enquadram para isso, Aceguá, Barra do Quaraí, Chuí, Itaqui, Jaguarão, Porto Mauá, Porto Xavier, Quaraí, Santana do Livramento, São Borja e Uruguaiana.

Desde então, Santana do Livramento foi vista como a que, provavelmente, inauguraria a nova modalidade, por ser o principal ponto de visitação de turistas que compram nos free shops de Rivera, no Uruguay. Todavia Uruguaiana já com dois freeshops, Jaguarão e Barra do Quaraí com um cada uma.

Santana do Livramento, embora onde ocorre o maior fluxo de turistas para compras nos free shops, de Rivera no Uruguay, nada aconteceu, e no lado brasileiro não existe nenhuma loja da categoria. Embora o movimento aconteça, pois várias lojas departamentais brasileiras tenham inaugurado filiais na cidade, provavelmente com tudo pronto para embarcar na ‘onda’ dos freeshops brasileiros. Provavelmente quando acontecer, serão abertos vários em pouco tempo.

Agora com a novidade (acréscimo na permissão de novas categorias de produtos a serem vendidos nos free shops), Raed Shweiki, vice-presidente da ACIL (Associação Comercial e Industrial de Santana do Livramento), disse: “Esperamos que, com o acréscimo de produtos que podem ser vendidos nos free shops, os empresários comecem a ver alguma luz. Se os turistas não vierem, hotéis ficam sem hóspedes, cai o movimento em restaurantes.

Todavia, ao que parece, é falta de interesse dos próprios empresários santanenses, pois grande parte deles já são proprietários de lojas de livre comércio (free shops) no lado uruguaio.

Saiba o que são free shops

São lojas que vendem produtos diversos sem a aplicação de determinados tributos. Além de estar localizadas em cidades de fronteira, podem ficar em portos e aeroportos.

O que agora também é permitido vender nos free shops do lado de cá (Brasil)

  • Produtos de cesta básica de consumo.
  • Animais vivos e plantas.
  • Armas e munições.
  • Produtos de tabaco e cigarros.
  • Maquinário agrícola, industrial, comercial e de serviços.
  • Eletrodomésticos de grande porte.
  • Materiais de construção, incluídos elétricos e suas partes,
  • hidráulicos e sanitários.
  • Pneus.
  • Tecidos, fios e calçados (exceto tênis e sandálias).

Quais as regras para comprar nos free shops do lado brasileiro

  • A cota máxima é de US$ 300 por CPF ou o equivalente em outra moeda a cada intervalo de 30 dias em compras de produtos.
  • O excedente em mercadorias adquiridas tem taxa de 50%.
  • Há limite de quantidade de alguns itens:
  • Bebidas alcoólicas: 12 litros por pessoa
  • Cigarros: 10 maços de 20 unidades
  • Charutos ou cigarrilhas: 25 unidades por pessoa
  • Fumo preparado para cachimbo: 250 gramas
  • Outros itens com valor inferior a US$ 5: 20 unidades, sendo no máximo 10 idênticas
  • Outros itens com valor superior a US$ 5: 10 unidades, sendo no máximo três idênticas.