Einstein no Brasil

0
509

Em 14 de março de 2019 comemoram-se os 140 anos do nascimento do físico alemão Albert Einstein, Prêmio Nobel de Física de 1921 por suas contribuições à física teórica e especialmente por sua descoberta da lei do “efeito fotoelétrico”, valendo lembrar que ele esteve no Rio de Janeiro em 1925.

Naquela ocasião ele fez conferências no Clube de Engenharia, na Academia Brasileira de Ciências e na Escola Politécnica, tendo também visitado o Instituto Oswaldo Cruz.

Com efeito, a visita do renomado físico se deu em decorrência de um convite da Universidade de Buenos Aires, na Argentina, ocasião em que o seu navio fez escala nos portos do Rio e de Montevidéu, possibilitando que ele visitasse também a esses países antes de chegar a seu destino.

Para ele, o Brasil lhe trazia ótimas lembranças, pois foi no município de Sobral, no Ceará, que durante a observação de um fenômeno de um eclipse solar em 1919, uma missão de cientistas europeus comprovou a Teoria da Relatividade que Einstein havia enunciado em 1905.

Em seu diário que fazia apontamentos sobre a sua viagem à América do Sul, ele relatou que teve a oportunidade de manter um contato pessoal com o marechal Cândido Rondon (1865-1958) entre outras tantas autoridades do meio governamental e intelectual brasileiro.

Einstein ficou tão impressionado com o trabalho do brasileiro no relacionamento e proteção das etnias indígenas que posteriormente enviou uma correspondência ao Comité do Prêmio Nobel da Paz na Noruega, a fim de que levassem em consideração os feitos do brasileiro nas próximas concessões do galardão.

A mencionada correspondência, juntamente com o seu diário, faz parte do acervo de documentos escritos e recebidos por Albert Einstein e que hoje se encontram na Universidade Hebraica de Jerusalém, tendo em vista que o cientista deixou em testamento todo o seu patrimônio documental para essa Universidade.

Einstein sempre teve um carinho muito especial pela Universidade Hebraica, sendo que em 1923, dois anos antes da sua fundação oficial em 1º de abril de 1925, ele fez uma viagem por vários países asiáticos e lá chegando proferiu uma palestra em um dos institutos de ensino superior que já funcionavam sobre a Teoria da Relatividade, sendo a primeira vez que um cientista de renome fazia uma conferência naquela casa de ensino.